Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • + Notícia

    2021 começou com mais famílias endividadas

    Se o índice de endividamento das famílias com mais de 10 salários mínimos de renda mensal aumentou, imagina o índice das famílias de baixa renda que sofreram impacto pelo fim do auxílio emergencial que se deu a partir de janeiro deste ano.

    A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostrou em sua pesquisa que o percentual de famílias que relataram ter dívidas (cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal, prestação de carro e de casa) alcançou 66,5% em janeiro, alta de 0,2 ponto percentual em relação a dezembro de 2020 e de 1,2 ponto em relação a janeiro de 2020.

    Por outro lado, o índice de inadimplência caiu, ou seja, o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso caiu para 24,8% em janeiro, ante 25,2% em dezembro. A parcela das famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso – e que, portanto, permanecerão inadimplentes – reduziu-se novamente, passando de 11,2% em dezembro para 10,9% do total de famílias em janeiro.

    Em relação à capacidade de pagamento, entre as famílias endividadas, a parcela média da renda comprometida com dívidas alcançou 30,3% da renda mensal, novo aumento de 0,1 ponto percentual, em relação a dezembro. Nas famílias com até 10 salários, a parcela média da renda dedicada ao pagamento de dívidas por esse grupo aumentou pela quarta vez, na comparação mensal, de 30,8% para 30,9%. Nas famílias com renda acima de 10 salários mensais, a parcela média da renda comprometida aumentou pela primeira vez desde agosto passado, atingindo 27,6% em janeiro.

    Como não é novidade, o cartão de crédito, modalidade associada ao consumo imediato e de curto prazo, é a principal dívida das famílias brasileiras, tendo em janeiro deste ano, chegado à máxima histórica de 80,5% do total de famílias, ante 79,4% em dezembro de 2020. Famílias com até 10 salários, as dívidas com cartão de crédito são de 81,1% e, das famílias com mais de 10 salários é de 78,1%.

    Atrás do cartão de crédito, os tipos de dívidas com maiores percentuais em janeiro de 2021 foram, respectivamente, carnês (16,8%), financiamento de carro (9,9%), crédito pessoal (8,4%) e financiamento de casa (8,3%).

    Esse estudo observou que a proporção de famílias com dívidas tem crescido de forma mais intensa entre as famílias com mais de 10 salários mínimos de renda mensal, desde novembro passado.

    Certo é que, de uma forma ou de outra, todas as famílias brasileiras, independente da faixa de renda mensal, precisam organizar suas finanças de maneira mais incisiva para conseguir adimplir suas dívidas e não contrair mais.

    Mais da metade das famílias brasileiras endividadas Foto: 500px

    Mais da metade das famílias brasileiras endividadas

  • + Análise

    Redução da dívida em até 95%.

    Devido a crise do Covid-19, as áreas de cobrança dos bancos aumentaram os descontos das dívidas em até 95%.

    Além disso, elas também incrementaram o prazo de carência para os pagamentos de 30 para 60 dias.

    Portanto, se você tem uma dívida antiga, é um bom momento para renegociar e ter um grande desconto. No entanto, avalie sua situação financeira para os próximos 12 meses para que a renegociação não prejudique suas finanças.

    Vale lembrar que em 5 anos ocorre a prescrição da cobrança da dívida e também a retirada de restrição de crédito do Serasa/SPC.

    Quando a dívida é renegociada, esse prazo recomeça, sendo novamente contado do zero.

    Oportunidade na Tempestade Foto: 500px

    Oportunidade na Tempestade

  • + Enquete

    Qual Banco oferece melhores condições de adiamento de pagamento de dívidas durante a crise do coronavírus?

    Escolha o Banco que, durante a pandemia, tem oferecido adiamento de pagamento de dívidas com melhores condições.

    • 14 -1
      13 pontos
      CEF

      CEF

    • 11 0
      11 pontos
      Banco do Brasil

      Banco do Brasil

    • 9 -1
      8 pontos
      Itaú

      Itaú

    • 7 -4
      3 pontos
      Santander

      Santander

    • 5 -3
      2 pontos
      Bradesco

      Bradesco

  • + Enquete

    Qual a maior dificuldade do consumidor para renegociar sua dívida?

    Escolha o maior problema enfrentado pelo consumidor ao tentar renegociar suas dívidas nos bancos.

    • 14 0
      14 pontos
      Burocracia dos procedimentos

      Burocracia dos procedimentos

    • 12 0
      12 pontos
      Falta de desconto nos juros e multas

      Falta de desconto nos juros e multas

    • 10 0
      10 pontos
      Valor da prestação que não cabe no bolso

      Valor da prestação que não cabe no bolso

    • 8 0
      8 pontos
      Transferir o débito para outra instituição

      Transferir o débito para outra instituição

    • 6 0
      6 pontos
      Obter novos prazos para pagar o que deve

      Obter novos prazos para pagar o que deve

  • + Enquete

    Qual Banco mais facilita a renegociação de dívida?

    Votem no Banco que tem menos burocracia para renegociar dívida.

    • 27 0
      27 pontos
      Banco do Brasil

      Banco do Brasil

    • 24 -3
      21 pontos
      Bradesco

      Bradesco

    • 23 -4
      19 pontos
      CEF

      CEF

    • 22 -4
      18 pontos
      Itaú

      Itaú

    • 21 -5
      16 pontos
      Santander

      Santander

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Rubi

    + Análise

    Reduza os juros da dívida em até 72%.

    Sem dúvida, o ano de 2020, será o melhor ano para você reduzir sua dívida. Porque, a taxa de juros no Brasil está no patamar mais baixo de todos os tempos. A taxa Selic caiu de 14,25% para 4,25%, ou seja, uma queda de 70%. 

    As taxas das operações de crédito também caíram, mas não na mesma proporção.

    Você pode começar o ano com prestações mais baixas e prazos mais curtos.

    O que você pode fazer?

    1) Primeira Estratégia: Portabilidade de Crédito

    a) Veja a taxa das sua dívida atual, o valor da prestação mensal e o valor total da dívida.

    b) Pesquise em Seu banco / taxas: 

    https://rock.com.br/seu-banco/taxas/

    Aqui, você vai encontrar as verdadeiras taxas praticadas pelos bancos para cada produto.

    c) Faça a sua simulação para avaliar o valor de redução dos juros, das prestações e da dívida.

    https://rock.com.br/simuladores/credito-pessoal-consignado/

    d) Procure os bancos para fazer a Portabilidade de Crédito. Pesquise as taxas e faça prazos menores.

    e) Se tiver algum problema na Portabilidade de Crédito. Faça a sua Reclamação aqui na Rock.

    https://rock.com.br/seu-banco/reclamacoes/

    Você poderá reduzir seus juros em até 72%. Depende de cada caso, do produto, das taxas contratadas e do prazo.


    2) Segunda estratégia: Produtos com taxas mais baixas

    Pode-se também procurar diferentes tipos de produtos e reduzir os juros.

    Conseguir empréstimo consignado com taxas de 15% a 20% ao ano e pagar o cartão de crédito parcelado que tem juros de 300% ao ano, pagar o crédito pessoal que tem juros ao redor de 150% ao ano.

    Obter um financiamento com garantia de um carro ou uma casa, que tem juros bem mais baixos.


    3) Terceira estratégia: Pessoas com nome sujo.

    Se seu nome já está no SPC e Serasa e sua dívida não tem garantia de alienação fiduciária (carro ou casa), a melhor estratégia é esperar e negociar.

    Os bancos podem dar descontos de até 90% nos juros e multas, porque:

    - Depois de 5 anos, ocorre a prescrição da cobrança da dívida. 

    - Depois de 5 anos, automaticamente seu nome sai do SPC e Serasa.

    Quando o banco conceder um bom desconto, você poderá quitar sua dívida e será um valor justo. Não fique sem pagar sua dívida. 

     Menos dívidas Foto: 500px

    Menos dívidas

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Rubi

    + Análise

    Multirão das Dívidas. Descontos de até 92%.

    De segunda-feira (02 de dezembro de 2019) a sexta-feira (06 de dezembro de 2019), haverá o multirão das dívidas com descontos que podem chegar até 92%.

    Os bancos funcionarão com 2 horas a mais nessa semana para atender o público que queria renegociar sua dívida.

    As melhores estratégias são:

    -Pagamento à vista, porque terá maiores descontos.

    -Caso renegocie da dívida, faça prazos curtos.

    -Análise suas condições de pagamento. Não renegocie por renegociar, porque o prazo da prescrição da cobrança da dívida começará do zero. Assim como, o prazo de 5 anos de limpeza do nome sujo também começará a contar do zero novamente.

    -Negocie muito.


    Veja as principais ofertas dos bancos:

    1) Banco do Brasil

    -Desconto de até 92%.

    -Prazos de até 120 meses

    -Carência de até 180 dias

    -Taxas de juros de renegociação menores em até 14%


    2) Caixa Econômica Federal

    -Descontos de até 90%

    -Prazos de até 96 meses


    3) Santander

    -Descontos de até 90% para atrasos acima de 60 dias.

    -Descontos de até 20% para atrasos até 60 dias.


    4) Itaú

    -Descontos de até 90%.

    -Taxas reduzidas a partir de 1,99% com dívidas vencidas a mais de 90 dias.


    5) Bradesco

    -Prazos e taxas diferenciados, de acordo com o perfil dos clientes.


    6) Banrisul

    -Descontos de até 90%.

    -Prazo de até 96 meses.

    -Juros a partir de 0,69%.

    Renegociar a dívida Foto: 500px

    Renegociar a dívida

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Rubi

    + Análise

    John Templenton: A maioria dos investidores compra na alta e vende na baixa. Quase todo mundo faz isso, mas ninguém admite

    John disse: "Claro, você pode dizer, compre quando estiver barato, isso é óbvio. Pode ser, mas não é assim que o mercado funciona. Quando os preços estão altos, um monte de investidores está comprando. 


    Os preços estão baixos quando a demanda está baixa, os investidores saíram, as pessoas estão desencorajadas e pessimistas. 

    Quando quase todo mundo está pessimista ao mesmo tempo, todo o mercado colapsa e investidores ficam de lado, sentados sobre suas carteiras. 

    Sim, eles dizem "Compre na baixa, venda na alta"", mas muitos deles compram na alta e vendem na baixa.  E quando eles compram? A resposta normal: "Oras, depois que os analistas concordam que a previsão está mais favorável.""

    Isso é tolice, mas é a natureza humana.

    Pensando em comprar na alta? Foto: 500px

    Pensando em comprar na alta?

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Rubi

    + Análise

    Eu investi em algo. Você também não pode deixar essa oportunidade passar. SQN

    Muita gente não faz o que está dizendo ou faz com pouco só para dizer que fez. 


    Lembro que um diretor do banco que tinha um patrimônio de R$ 10 milhões e ele criou um produto novo de investimentos e disse que era ótimo para todo mundo. E que ele mesmo havia investido seu dinheiro.


    Achei a história estranha, porque analisando bem o produto, ele era bem ruim. Finalmente o segredo foi descoberto. Descobriu-se que ele tinha investido o mínimo de R$ 50.  Somente para dizer que ele mesmo tinha investido. 

    Oportunidade que você não pode perder Foto: 500px

    Oportunidade que você não pode perder

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Rubi

    + Album

    Sabedoria Financeira

    3 coisas definem a sabedoria financeira

    3 coisas definem a sabedoria financeira

    Segundo: A emoção negativa ou positiva. Mas principalmente, a emoção negativa que sente-se quando tem uma dívida com o banco. A emoção fora de controle quando investe em ações de empresa e sofre com as altas e baixas do mercado. Tem investimentos e dívidas que tiram o sono, provocam perda de tranquilidade e perda da paz.
Será que não é melhor ter algo simples, seguro e lhe dê liberdade.

    Segundo: A emoção negativa ou positiva. Mas principalmente, a emoção negativa que sente-se quando tem uma dívida com o banco. A emoção fora de controle quando investe em ações de empresa e sofre com as altas e baixas do mercado. Tem investimentos e dívidas que tiram o sono, provocam perda de tranquilidade e perda da paz. Será que não é melhor ter algo simples, seguro e lhe dê liberdade.

    Terceiro: Risco e Retorno. Será que não está assumindo riscos demais para determinado retorno. Sabe como aumentar o retorno sem assumir mais riscos? Você não pode perder o dinheiro que juntou uma vida toda.

    Terceiro: Risco e Retorno. Será que não está assumindo riscos demais para determinado retorno. Sabe como aumentar o retorno sem assumir mais riscos? Você não pode perder o dinheiro que juntou uma vida toda.

    O que é sabedoria financeira?

    O que é sabedoria financeira?

    Primeiro: São 3 tempos:
1) Tempo dedicado: O tempo dedicado para ganhar dinheiro ou para investir. Vale a pena perder tanto tempo para fazer certos investimentos? Vale a pena trabalhar tanto para ganhar determinado salário? 
2) Tempo perdido: Vale a pena não saber nada de dinheiro e perder até 25 anos com juros com os bancos?
3) Não ter tempo: tempo para você mesmo, tempo para família e amigos. Tempo para fazer o que gosta.

    Primeiro: São 3 tempos: 1) Tempo dedicado: O tempo dedicado para ganhar dinheiro ou para investir. Vale a pena perder tanto tempo para fazer certos investimentos? Vale a pena trabalhar tanto para ganhar determinado salário? 2) Tempo perdido: Vale a pena não saber nada de dinheiro e perder até 25 anos com juros com os bancos? 3) Não ter tempo: tempo para você mesmo, tempo para família e amigos. Tempo para fazer o que gosta.