Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • + analise

    Taxa Selic em 2,25% ao ano: a menor taxa de juros da história do Brasil.

    Tem muita gente que está com saudades da Selic em patamares de 12% a 14% ao ano. Por muitos anos, o Brasil foi o paraíso para os investidores de renda fixa e percentual de CDI. Seja nos CDBs, seja no Tesouro Direto, seja nas LCIs, seja nos fundos Di, seja nos PGBLs.

    Quem investia R$ 100 mil com taxa de juros de 14%, ganhava R$ 11.900 de juros por ano, já descontados o imposto de renda.

    Quem tinha R$ 1 milhão, ganhava R$ 119 mil por ano de juros, o que representava um ganho mensal líquido do imposto de renda de quase R$ 10 mil.

    Hoje com selic a 2,25%, esses mesmos R$ 1 milhão, rendem R$ 19,1 mil por ano, ou R$ 1.593 por mês.

    Para quem é bom juros menores:

    -Bom para pessoas e empresas que precisam tomar um crédito.

    -Bom para o empreendedorismo no Brasil. Seja para startups, seja para pequenas empresas. Porque teremos mais investidores dispostos a assumir riscos.

    -Bom para o desenvolvimento econômico do Brasil. Mais investimentos no setor real da economia.

    -Bom para diminuir a desigualdade social.

    -Bom para o mercado de ações e setor imobiliário (aqui sempre com muita cautela e análise).

    -Bom para reduzir os juros dos créditos com a portabilidade de crédito.

    A enterrada da Selic Foto: 500px

    A enterrada da Selic

  • + analise

    Cadastro Positivo no modelo "Opt Out"

    O Brasil mudou o modelo de cadastro positivo de "opt in" para "opt out" em 2019.

    Antes, no modelo de "opt in", era necessário solicitar a inclusão dos dados no cadastro positivo. Porém, houve adesão de apenas 10% dos brasileiros. 

    Desta forma, editou-se a Lei Complementar 166/19 para o modelo de "opt out", isso quer dizer que todos estão no cadastro positivo e que, aqueles que não quiserem ter seus dados ali inseridos, devem solicitar a exclusão dos dados.

    As seguintes empresas devem disponibilizar dados para o cadastro positivo:

    -Instituições financeiras (dados de pagamento das parcelas de crédito, cartão de crédito, consórcio e outros);

    -Empresas de telecomunicações;

    -Empresas de varejo;

    -Empresas de gás, água e energia elétrica.

    Todos no Cadastro Positivo Foto: 500px

    Todos no Cadastro Positivo

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + noticia

    Projeto de Lei poderá limitar as taxas de juros do cheque especial e do cartão de crédito

    O Projeto de Lei 1166/2020 poderá ser aprovado pelo Congresso nas próximas semanas, cujo objetivo é o tabelamento da taxa de juros e o congelamento dos limites de crédito dos clientes dos bancos.

    O Projeto define uma taxa máxima de 20% ao ano para as taxas de cheque especial e do rotativo dos cartões de crédito. Atualmente, as taxas de cheque especial estão em 130% ao ano e do rotativo em 296% ao ano.

    O Projeto também proíbe a redução dos limites entre março de 2020 a julho de 2021.

    Teto de juros Foto: 500px

    Teto de juros

  • + noticia

    Estudo aponta que 52% das pessoas atrasarão as contas nos próximos meses.

    Uma pesquisa realizada pelo SPC, entre os dias 07 a 13 de abril de 2020, aponta que 52% dos consumidores preveem que não pagarão as contas nos próximos meses devido ao impacto econômico do Covid-19.

    Veja abaixo a expectativa de fôlego financeiro das famílias (52%):

    -28% afirmam que tem dinheiro para menos de 1 mês;

    -28% dizem que tem dinheiro para 1 a 2 meses;

    -12% para 3 a 4 meses;

    -12% para mais de 4 meses;

    -20% não sabem até quando conseguirão pagar as contas.

    As principais contas são as compras parceladas no cartão de crédito, carnê de loja e cheques pré-datados, que correspondem a 49% do total. Outros 27% são dívidas de empréstimos.

    Assustado Foto: 500px

    Assustado

  • + analise

    Dificuldade de pausar ou adiar 2 prestações da dívida nos bancos

    Devido ao COVID-19, os grandes bancos anunciaram a suspensão ou pausa de 2 parcelas das dívidas de casa, carro e outros créditos.

    Os bancos foram Caixa Econômica, Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander. Mas os clientes têm encontrado dificuldade, seja pela falta de atendimento e pela falta de conhecimento do assunto.

    Existem relatos de bancos oferecendo novos empréstimos, novos contratos com prazos maiores e juros maiores.

    Os bancos estão classificando essa operação como uma repactuação ou refinanciamento. Os bancos exigem que os clientes estejam em dia no pagamento das prestações para solicitar a pausa de 2 meses.

    Está com problemas com os bancos? Faça sua reclamação aqui na Rock e te ajudaremos.

    Sozinho? Foto: 500px

    Sozinho?

  • + noticia

    Caixa Econômica concede pausa de 60 dias para pagamento de dívidas

    Veja abaixo os produtos:

    1) CDC, Crédito Pessoal e Microcrédito: Pausa de 60 dias no pagamento das parcelas.

    Requisito: 11 parcelas pagas e com até 19 dias de atraso.

    2) Consignado. Na renovação do consignado, haverá pausa de até 60 dias no pagamento.

    Busque a pausa de 2 prestações neste momento de crise do COVID-19. O objetivo é ter mais reserva para suportar a crise.

    Maior tranquilidade Foto: 500px

    Maior tranquilidade

  • + analise

    Suspenda 2 prestações do financiamento da sua casa na Caixa Econômica

    A Caixa Econômica Federal anunciou que as pessoas físicas poderiam solicitar a pausa de 2 prestações do financiamento imobiliário.

    A Caixa divulgou que houve mais de 100 mil pedidos para a suspensão do pagamento de 2 prestações.

    Se você ainda não solicitou a pausa 2 prestações, então vá em uma agência e faça isso. Isso vai ajudar na preservação da sua renda mensal neste momento de crise do COVID-19.

    Pausa de 2 prestações Foto: 500px

    Pausa de 2 prestações

  • + analise

    PGBL e VGBL como garantia de empréstimo?

    O Banco Central estuda a possibilidade de liberar o PGBL e VGBL como garantia de empréstimo. Sem dúvida, é uma boa iniciativa, porque as vezes não convém o saque dos recursos do PGBL e VGBL e pode-se pagar mais impostos sobre a previdência privada.

    Mas antes de tudo, o importante é avaliar seu PGBL e VGBL:

    -Reduzir taxa de administração: taxas de 3%, 2% e 1% ainda são muito altos. Principalmente, em um cenário de Selic a 4,25% ao ano.

    -Avalie o imposto regressivo e progressivo. 

    -Faça a Portabilidade de PGBL e VGBL para outros bancos e fundos, que possuam taxas de administração menores. Não saque e aplique, a melhor opção é fazer a portabilidade, porque os prazos de investimento são preservados e os benefícios do imposto.

    -Estude a modalidade de renda. Tem modalidade de renda que fica para o banco em caso de morte do titular.

    Utilize nossos simuladores de PGBL e VGBL, compare os impostos regressivos e progressivos, compare com o Tesouro Direto Selic, compare as taxas de administração.

    https://rock.com.br/simuladores/previdencia/

    Oportunidades Foto: 500px

    Oportunidades

  • + analise

    Economia de juros de R$ 2,5 bilhões com a Portabilidade de Crédito

    O Banco Central fez uma estimativa de economia de R$ 2,5 bilhões de juros com a Portabilidade de Crédito, em prazo de 10 anos, para quem tem dívidas.

    Os brasileiros pagam taxas de juros altíssima para os bancos. 

    O novo presidente do Banco Central está realizando um bom trabalho com várias frentes com o objetivo de reduzir os juros bancários, redução da burocracia, novo sistema de pagamento instantâneo, LIFT (Laboratório de Inovações Financeiras Tecnológicas) e incentivos a educação financeira.

    Se você tem alguma dívida, avalie a possibilidade de realizar a portabilidade de crédito.

    Pesquise as taxas dos créditos em:

    https://rock.com.br/seu-banco/taxas/credito/todos/aquisicao-outros-bens/taxas-de-juros-de-operacoes-de-credito/taxas-pre-fixadas/pessoa-fisica/

    Simule o valor dos juros em:

    https://rock.com.br/simuladores/

    Procure os bancos e solicite a Portabilidade de Crédito e reduza os juros do seu empréstimo.

    Pescar economia de juros Foto: 500px

    Pescar economia de juros

  • + analise

    Bancos precisam informar no extrato os detalhes do cheque especial

    O Banco Central publicou a Circular número 3.981 que trata da prestação de informações para os clientes referente ao cheque especial.

    Os bancos terão que detalhar os extratos das pessoas físicas e MEIs (micro-empreendedor individual) as seguintes informações:

    -Limite de crédito contratado;

    -Saldo devedor (na data);

    -Valores utilizados diariamente;

    -Valor e forma de apuração da tarifa cobrada

    -Taxa de juros efetiva do mês

    -Valor dos juros acumulado no período

    Essas informações deverão ser informadas aos clientes a partir de 1 de junho de 2020.

    Detalhes no Extrato Foto: 500px

    Detalhes no Extrato