Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Magazine Luiza lança fintech com empréstimo pessoal e cartão de crédito corporativo

    Recentemente, o Magazine Luiza anunciou o lançamento da sua fintech, fruto da integração de plataformas e startups adquiridas pela marca nos últimos anos.

    Uma delas é a Hub Fintech, no setor financeiro que oferece empréstimo pessoal e cartão de crédito para empresas.

    Empréstimo para pessoas físicas: a Fintech Magalu vai disponibilizar uma linha de até R$ 5 mil para os clientes, em até 36 meses, com juros mensais variando de 2,99% a 5%, conforme o perfil do consumidor.

    A solicitação do empréstimo será totalmente on-line. após a análise do perfil financeiro do correntista e aprovado o pedido, o dinheiro estará disponível na conta digital MagaluPay.

    Cerca de 10 milhões de clientes do Magazine Luiza têm a linha de crédito pré-aprovada e poderão encontrar a função no app até o final de maio.

    Cartão de crédito para empresas: ainda em fase de pré-lançamento e com lista de espera disponível, terá benefícios como um programa de pontos que poderão ser trocados por produtos e serviços na plataforma, além de conta digital gratuita. O público-alvo será os mais de 160 mil vendedores cadastrados no marketplace da companhia.

     

    Iniciadora de pagamentos

    O Magazine Luiza também anunciou que, aproveitando a expansão do Open Banking, iniciou o processo para atuar como uma iniciadora de pagamentos, o que dará uma maior agilidade nos pagamentos via Pix, eliminando a necessidade de copiar e colar a chave ou a leitura do QR Code para efetuar a operação, vez que os pagamentos acontecerão diretamente no site da loja, sem precisar abrir o app do banco.

    A primeira marca do grupo a oferecer o recurso será a loja virtual KaBum!

    A funcionalidade está em fase de homologação pelo Banco Central.


    Mas lembre-se, a taxa de juros do empréstimo será de acordo com a sua escolha. Quanto maior o prazo, mais juros. Escolha prazos menores.

    Hub Fintech Foto: shutterstock

    Hub Fintech

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    3 milhões de ligações sobre crédito consignado foram bloqueadas pelo “Não me Perturbe”

    Ante a necessidade de fortalecer os princípios bancários e melhorar o atendimento e o relacionamento com clientes na oferta do crédito consignado, a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) e a Associação Brasileira de Bancos (ABBC), desde janeiro de 2020, desenvolveram o Sistema de Autorregulação de Operações de Empréstimo Pessoal e Cartão de Crédito com Pagamento Mediante Consignação.

    Dentre os sistemas, foi criado o “Não Me Perturbe”, um sistema de bloqueio de ligações, seja em telefone fixo ou móvel, que fica à disposição dos consumidores que não queiram receber ofertas de crédito consignado.

    Assim, ao cadastrar o telefone fixo ou móvel, em até 30 dias após o pedido de bloqueio, tanto as instituições financeiras quanto os correspondentes autônomos não poderão mais fazer qualquer oferta de operação de crédito consignado por meio do número incluído.

    Tal bloqueio vale por um ano e o cliente poderá escolher se bloqueia instituições financeiras específicas, ou se todo o segmento bancário.

    O sistema estabelece que é considerada falta grave “qualquer forma de captação ou tratamento inadequado, ou ilícito dos dados pessoais dos consumidores sem sua autorização”. Assim, os bancos participantes devem assumir o compromisso de adotar melhores práticas em relação à proteção e tratamento dos dados pessoais dos clientes.

    Até o final de janeiro de 2021, mais de 1,2 milhão de pessoas solicitaram o bloqueio telefônico e 318 sanções foram aplicadas em razão de reclamações sobre a oferta irregular de consignado.

    Atualmente, esse número cresceu. Entre janeiro de 2020 e abril de 2022, foram registradas cerca de 3 milhões de solicitações de bloqueios e 896 sanções foram aplicadas a empresas pelo sistema.

    De acordo com o presidente da FEBRABAN, Isaac Sidney, é de interesse dos consumidores e dos bancos que medidas administrativas sejam aplicadas a empresas que atuam como correspondentes bancárias.

    Dessa forma, o intuito é melhorar a qualidade do produto e aumentar a transparência sobre os serviços contratados, tendo em vista que o assédio comercial pode levar pessoas ao superendividamento.

    Segundo a presidenta da ABBC, Sílvia Scorsato, a autorregulação tem o papel de proteger esses consumidores:

    “O consignado é uma opção de crédito muito utilizada pelos brasileiros. É fundamental que sua oferta seja feita com assertividade e transparência, para que os consumidores, especialmente os mais vulneráveis, entendam o produto e sua sistemática, optando por sua contratação no momento oportuno.”

    Consumidores que não queiram receber ofertas de crédito consignado Foto: shutterstock

    Consumidores que não queiram receber ofertas de crédito consignado

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Crédito a negativados teve 1,5 milhão de propostas no primeiro dia

    O programa de microcrédito Caixa Tem SIM Digital que oferece empréstimos a pessoas que estão “negativadas” nos serviços de proteção ao crédito, lançado em 28/03/22, teve mais de 1,5 milhão de propostas no primeiro dia.

    São duas linhas de crédito:

    - Crédito Caixa Tem para pessoa física: destinado a clientes com atividades ligadas à prestação de serviços, e concede empréstimos de valor até R$ 1 mil, parcelados em até 24 meses.

    - Crédito Caixa Tem para Microempreendedores Individuais (MEI): empréstimo feito na agência de até R$ 3 mil, parcelados em até 24 meses, com taxas de juros a partir de 1,99% ao mês.

    Ressalta-se que há necessidade de análise de crédito de 10 dias.

    O presidente da Caixa Federal, Pedro Guimarães, explicou que, "por questões de segurança", o usuário deverá atualizar a versão do programa antes de realizar a operação de empréstimos.

    A expectativa seria de cinco milhões de pessoas, mas com o número alcançado no primeiro dia, o alcance será muito maior que isso.

    Um alívio que muitos empreendedores esperavam... Foto: shutterstock

    Um alívio que muitos empreendedores esperavam...

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Fundo disponibiliza R$ 10 milhões em crédito para micro e pequenas empresas

    O fundo social sem fins lucrativos, Estímulo 2020, criado na pandemia para financiar micro e pequenos empresários atingidos pela crise, disponibilizou R$ 10 milhões a mais em crédito facilitado para empreendedores nos Estados do Rio de Janeiro, Ceará, São Paulo, Santa Catarina e Minas Gerais.

    R$ 2 milhões serão destinados ao Estímulo Petrópolis, exclusivamente para MPEs afetadas pelas chuvas.

    O procedimento é feito totalmente on-line. Se preenchidos os requisitos, o dinheiro entra na conta em 48 horas.

    Assim, podem obter o crédito empresários que:

    - Faturem entre R$ 10 mil e R$ 400 mil mensais;

    - Tenham pelo menos dois anos de CNPJ;

    - Tenham um bom histórico de crédito.

    O Prazo para pagamento do empréstimo será de até dois anos, com três meses de carência e juros fixos de 1.49% ao mês.

    Estima-se que serão gerados 2,4 mil empregos com a iniciativa.

     

    Sobre o Estímulo 2020

    Como já dito, o fundo foi criado no início da pandemia e é alimentado por doações de empresas. Desde então, cerca de 2,1 mil pequenas empresas foram beneficiadas e 22,9 empregos foram gerados.

    R$ 60 milhões arrecadados se tornaram R$ 115 milhões em empréstimos.

    Ou seja, o fundo é sustentável e mantido integralmente com o pagamento das parcelas dos empréstimos.

    Por isso que, até então, o fundo está disponível apenas nos Estados onde há patrocínios.

    De acordo com o diretor-executivo do fundo, Fábio Lesbaupin, a meta é ampliar o fundo para todo o país, vez que, atualmente, 77% dos micro e pequenos empresários estão em regiões de baixa renda, mas que, para isso, o fundo precisa de doações.

    Mais crédito para micro e pequenas empresas afetadas pela crise Foto: shutterstock

    Mais crédito para micro e pequenas empresas afetadas pela crise

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Sobe para 40% a margem do consignado para beneficiários do INSS

    A porcentagem da margem do crédito consignado que, em janeiro, havia recuado para 35%, agora voltou para 40%.

    Assim, aposentados e pensionistas do INSS poderão comprometer sua renda até o limite de 40%, sendo:

    - Até 35% no empréstimo pessoal; e

    - 5% para despesas e saques com cartão de crédito consignado.

    Aqueles que recebem benefícios assistenciais, como BPC/LOAS, bem como aqueles que participam do Programa Auxílio Brasil, também terão acesso a essa modalidade de crédito.

    O número de pedidos de empréstimo consignado entre aposentados e pensionistas tem aumentado significativamente, devido ao aumento da margem de empréstimo para 40% desde o ano passado. De e 32,4 milhões de pedidos em 2019, aumentou para 37,4 milhões em 2020 e saltou para 40,5 milhões em 2021.

     

    Recomendações do Banco Central e do INSS

    O Banco Central recomenda que, antes de contratar um consignado:

    - Não faça qualquer pagamento adiantado para obter o empréstimo;

    - Nunca assine um contrato ou uma proposta de contrato em branco;

    - Não aceite a intermediação de pessoas com promessas de acelerar o crédito;

    - Não forneça o cartão magnético ou senha do banco a terceiros;

    - Pesquise e compare as taxas de juros e condições oferecidas por outros bancos. Em especial, repare no Custo Efetivo Total – CET, que resume o custo total da operação em percentual;

    - Verifique se o banco está autorizado a funcionar pelo Banco Central e se tem convênio com sua fonte pagadora; por exemplo, no caso dos empréstimos consignados para aposentados e pensionistas do INSS, se a instituição está conveniada com o INSS;

    - Lembre-se de que esse tipo de operação representa dívidas que poderão afetar sua renda pessoal e familiar futura, em razão do desconto mensal com o pagamento do empréstimo;

    - Caso queira fazer a transferência do contrato para outro banco, as informações sobre portabilidade de crédito devem ser lidas atentamente.

     

    Por sua vez, as recomendações do INSS são:

    - Monitore os valores da aposentadoria e do empréstimo consignado no site Meu INSS.

    - Não contrate empréstimos pelo telefone.

    - Nunca dê seu CPF nem o número do cartão do INSS para quem quer que seja.

    - Leia com atenção cada documento antes de assinar.

    - Se algum dinheiro não esperado aparecer em sua conta, veja a origem e entre em contato com a instituição para devolver o valor recebido.

    - O INSS não entra em contato por meio de mensagens de telefone ou aplicativos como WhatsApp, ligação ou e-mails para oferecer serviços de empréstimo consignado, nem envia motoboys para a casa dos beneficiários. Em hipótese alguma, deve ser passado dados como senhas e dados bancários.

    - As cláusulas desses acordos, feitos entre o INSS e as instituições financeiras, preveem que cabe aos bancos a adoção de cuidados para evitar o vazamento de dados, consignações fraudulentas e assédio comercial. 

    - Havendo fraudes ou caso não reconheça o empréstimo, o segurado deve procurar imediatamente a instituição financeira e registrar também sua reclamação no Portal do Consumidor (consumidor.gov.br), para fins de tratamento e exclusão de descontos.

    - O bloqueio de contratação de operações de crédito poderá ser solicitado pelo próprio beneficiário por meio do Meu INSS, site ou aplicativo ou pela Central 135, cujo funcionamento é das 7h às 22h, de segunda a sábado.

    - Não é necessário o comparecimento presencial nas unidades do INSS para atendimento, vez que ele é realizado à distância.

    - O segurado que se sentir ameaçado, pode registrar reclamação na ouvidoria e um boletim de ocorrência na polícia.

     

    Para pesquisar taxas e comparar as taxas de juros e condições oferecidas por outros bancos, consulte taxas em: https://rock.com.br/seu-banco/taxas/

    Simule e compare em: https://rock.com.br/simuladores/credito-pessoal-consignado/

    Mais margem para contratar empréstimo consignado Foto: shutterstock

    Mais margem para contratar empréstimo consignado

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Novo Microcrédito de até R$ 3 mil é lançado para empreendedores individuais

    O Governo Federal lançou, através de Medida Provisória, o programa Microcrédito Digital para Empreendedores - SIM Digital que poderá alcançar cerca de 4,5 milhões de trabalhadores, entre pessoas físicas e MEIs.

    Assim, Microempreendedores individuais (MEIs) e trabalhadores informais terão acesso a uma nova modalidade de microcrédito:

    - Até R$ 1 mil para pessoa física, dividido em até 24 parcelas e taxa de juros de 1,95% ao mês;

    - Até R$ 3 mil para MEI, dividido em até 24 parcelas e taxa de juros de 1,99% ao mês.

    A iniciativa é voltada para pessoas sem histórico creditício e que, por isso, têm dificuldade de obter financiamento em bancos e instituições financeiras convencionais.

    O programa estará disponível a partir do dia 28 de março. O banco estatal será o principal agente financeiro do SIM Digital.

    Poderão participar do programa, apenas pessoas jurídicas com atividade produtiva com receita bruta anual de até R$ 360 mil. Inicialmente, os MEIs poderão contratar o empréstimo apenas presencialmente nas agências da Caixa.

    As pessoas físicas poderão contratar o empréstimo diretamente pelo aplicativo Caixa Tem, ainda que estejam com o nome negativado.

    Segundo o governo, tal programa não tem impacto financeiro e, para mitigar os riscos das operações, utilizará R$ 3 bilhões em recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para aquisição de cotas do Fundo Garantidor de Microfinanças (FGM).

    Microcrédito para MEIs e trabalhadores informais sem histórico creditício Foto: shutterstock

    Microcrédito para MEIs e trabalhadores informais sem histórico creditício

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    IGG – Instituição Gestora de Garantia. Uma nova revolução

    O Ministério da Economia está trabalhando para reduzir os juros dos empréstimos, aumentar a competição e facilitar a contratação do crédito.

    Uma das inovações mais esperadas pelo mercado é o IGG. O IGG é uma Instituição Gestora de Garantia. 

    As pessoas e empresas poderão colocar seus bens ou ativos nas IGGs, e a partir delas, contratar operações de crédito. Pela proposta do Governo, seria necessário registrar apenas uma vez o imóvel no IGG. Este imóvel registrado serviria de garantia para vários empréstimos.

    Atualmente, um imóvel pode ser utilizado para garantia apenas de um empréstimo.

    O Governo tem a expectativa de que o Projeto de Lei 4.188/2021, que cria as IGGs, seja aprovado ainda neste ano.

    IGG - Imóvel como garantia para vários empréstimos Foto: 500px

    IGG - Imóvel como garantia para vários empréstimos

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Modelo “Buy Now Pay Later” (BNPL) avança no Brasil

    O modelo “Buy now Pay later” fez um grande sucesso nos EUA no ano passado. E, no Brasil, começa a ganhar força.

    O modelo funciona da seguinte forma:

    -Linha ou limite de crédito no ato da compra de um site ou app;

    -Pagamento em até 4 vezes sem juros;

    -Em média a entrada é de 25%.

    Geralmente, o pagamento da entrada é feito através do PIX.

    O BNPL vai competir com os cartões que crédito, que já possuem um parcelamento de até 12 meses. Porém, o limite de crédito é baixo, em média de R$ 600.

    Deve também atacar o modelo de crediário das lojas, em que juros rodam 5% ao mês ou 80% ao ano.

    Outro ponto importante, é dar acesso à população que não tem cartão de crédito. Hoje, estima-se que a penetração do cartão de crédito é de 45% no mercado brasileiro.

    Buy Now Pay Later: novidades no horizonte dos brasileiros Foto: 500px

    Buy Now Pay Later: novidades no horizonte dos brasileiros

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Crédito via PIX nos cartões

    Uma nova revolução está para acontecer no mercado de cartões. 

    O mercado estuda o Crédito via PIX nos cartões de crédito. Com isso, não haveria necessidade de bandeiras e pode até mesmo dispensar as credenciadoras de cartão. Esses dois são os intermediários no processo do cartão de crédito.

    Se o modelo vingar, será uma grande disrupção no mercado de cartões.

    O Itaú planeja lançar o crédito via PIX e seu projeto foi selecionado no sandbox regulatório do Banco Central.

    Mercado de cartões encurralado? Foto: 500px

    Mercado de cartões encurralado?

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Cadastro Positivo em 2022

    O objetivo do Cadastro Positivo é criar um histórico de todos dos tipos de pagamento e inadimplências dos clientes. Com dados mais completos, é a melhor base de dados para análise e criação de um score de crédito. O Cadastro Positivo tende a beneficiar os bons pagadores.

    Para 2022, o Cadastro Positivo terá muitas novidades:

    -Até março de 2022: inclusão de dados de conta de luz;

    -Até o final de 2022: expectativa de inclusão de dados de conta de gás, água e esgoto. Além de possíveis dados de ESG, que são práticas ambientais, sociais e de governança.

    Importante lembrar que, em setembro de 2021, foram inclusos os dados de:

    -Contas de telefone;

    -Internet;

    -Tv por assinatura.

    Antes dessa inclusão, praticamente, só havia informações do sistema financeiro.

    Score de Crédito com novas contas Foto: 500px

    Score de Crédito com novas contas