Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • + analise

    Financiamento de Casa: Melhor momento da história para reduzir juros e prestações

    Quem fez crédito imobiliário a 4, 5, 6, 7, 10 anos atrás, fez com taxas de aproximadamente 11% a 14% ao ano, o que são taxas elevadíssimas.

    Em 2020, os bancos oferecem taxas de 7,1% a 8,5% ao ano. Uma queda bastante expressiva. 

    Ademais, pode-se também procurar reduzir os prazos dos créditos imobiliários. Reduzir prazos de 30 a 35 anos para 10 a 15 anos.

    Você poderá conseguir uma economia de até 76% nos juros, o que dependerá da taxa que contratou e o prazo.

    Recomenda-se nesse processo realizar a Portabilidade de Crédito Imobiliário.

    Como sugestão segue um passo a passo:

    1) Avalie seu crédito imobiliário. A taxa de juros contratada. O valor do principal, o valor das prestações, o valor total da dívida e os juros.

    2) Pesquise as taxas atuais de crédito imobiliário em:

    https://rock.com.br/seu-banco/taxas/credito/todos/financiamento-casa-taxa-mercado/taxas-de-juros-de-operacoes-de-credito/taxas-pos-fixadas-referenciada-em-tr/pessoa-fisica/

    3) Faça uma simulação com o valor do principal e a taxa que você pesquisou e veja quanto pode reduzir na sua dívida.

    https://rock.com.br/simuladores/financiamento-casa/

    4) Agora tem que ir em um novo banco para solicitar a portabilidade de crédito imobiliário. Procure reduzir taxa e prazos.

    5) Uma vez aprovado o crédito, o banco fará todo o processo de portabilidade. No entanto, seu banco atual poderá realizar uma contra-proposta para manter o financiamento com juros menores.

    6) Caso ocorra algum problema pode-se abrir uma reclamação contra o banco. Coloque como assunto a Portabilidade de Crédito e descreva o problema.

    https://rock.com.br/seu-banco/reclamacoes/

    Reduza juros do financiamento da Casa Foto: 500px

    Reduza juros do financiamento da Casa

  • + analise

    2020. O melhor ano para você reduzir sua dívida, prestações e juros.

    Sem dúvida, o ano de 2020, será o melhor ano para você reduzir sua dívida. Porque, a taxa de juros no Brasil está no patamar mais baixo de todos os tempos. A taxa Selic caiu de 14,25% para 4,5%, uma queda de 68%. 

    As taxas das operações de crédito também caíram, mas não na mesma proporção.

    Você pode começar o ano com prestações mais baixas e prazos mais curtos.

    O que você pode fazer?

    1) Veja a taxa das sua dívida atual, o valor da prestação mensal e o valor total da dívida.

    2) Pesquise em Seu banco / taxas: 

    https://rock.com.br/seu-banco/taxas/

    Aqui você vai encontrar as verdadeiras taxas praticadas pelos bancos para cada produto.

    3) Faça a sua simulação para avaliar o valor de redução dos juros, das prestações e da dívida.

    https://rock.com.br/simuladores/credito-pessoal-consignado/

    4) Procure os bancos para fazer a Portabilidade de Crédito. Pesquise as taxas e faça prazos menores.

    5) Se tiver algum problema na Portabilidade de Crédito. Faça a sua Reclamação aqui na Rock.

    https://rock.com.br/seu-banco/reclamacoes/

    Você poderá reduzir seus juros em até 72%. Depende de cada caso, do produto, das taxas contratadas e do prazo.

    Feliz 2020 com menos dívida e juros.

     Menos dívidas Foto: 500px

    Menos dívidas

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Taxa Selic em 4,5% ao ano. A menor taxa de juros da história do Brasil

    Tem muita gente que está com saudades da Selic em patamares de 12% a 14% ao ano. Por muitos anos, o Brasil foi o paraíso para os investidores de renda fixa e percentual de CDI. Seja nos CDBs, seja no Tesouro Direto, seja nas LCIs, seja nos fundos Di, seja nos PGBLs.

    Quem investia R$ 100 mil com taxa de juros de 14%, ganhava R$ 11.900 de juros por ano, já descontados o imposto de renda. Quem tinha R$ 1 milhão, ganhava R$ 119 mil por ano de juros, o que representava um ganho mensal líquido do imposto de renda de quase R$ 10 mil.

    Hoje com selic a 4,5%, esses mesmos R$ 1 milhão, rendem R$ 38,25 mil por ano, ou R$ 3,2 mil por mês.

    Para quem é bom juros menores:

    -Bom para pessoas e empresas que precisam tomar um crédito.

    -Bom para o empreendedorismo no Brasil. Seja para startups, seja para pequenas empresas. Porque, teremos mais investidores dispostos a assumir riscos.

    -Bom para o desenvolvimento econômico do Brasil. Mais investimentos no setor real da economia.

    -Bom para diminuir a desigualdade social.

    -Bom para o mercado de ações e setor imobiliário (aqui sempre com muita cautela e análise).

    -Bom para reduzir os juros dos créditos com a portabilidade de crédito.

    Taxa de Juros de 4,5% Foto: 500px

    Taxa de Juros de 4,5%

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Possibilidade de reduzir os juros dos créditos para pequenas e micro empresas para 2020

    O Banco Central estuda a possibilidade de liberar a Portabilidade de Crédito para micros e pequenas empresas para o ano de 2020.

    Essa é uma boa medida para reduzir os juros das operações de crédito para pequenas empresas.

    Segundo o Banco Central: "O objetivo da medida é permitir a transferência de dívidas de uma linha de crédito cara para outras modalidades mais baratas.

    No entanto, resta saber se haverá algum tipo de custo de pré-pagamento das operações de crédito para pequenas empresas.

    Para grandes empresas é permitido cobrar um custo de pré-pagamento de crédito, cuja clausula está nos contratos entre o banco e a empresa.

    Vamos reduzir juros dos créditos para pequenas empresas? Foto: 500px

    Vamos reduzir juros dos créditos para pequenas empresas?

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Reduza dos juros com Cheque Especial com a Portabilidade de Crédito

    A partir de abril 2020, você poderá realizar a Portabilidade de Crédito para o produto cheque especial.

    Você pode escolher um banco com juros menores no cheque especial e fazer a portabilidade.

    A melhor forma de fazer isso é:

    -Pesquisar as taxas de juros do cheque especial

    -Simular o ganho da redução dos juros

    -Solicitar para o novo banco a portabilidade do cheque especial.

    Estamos em um dos melhores momentos da história do Brasil porque a taxa selic está no patamar mínimo e o Banco Central limitou os juros do cheque especial em 8% ao ano a partir de 06 de janeiro de 2020.

    Portabilidade de Cheque Especial Foto: 500px

    Portabilidade de Cheque Especial

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Aumento ou redução do limite do Cheque Especial. O que os bancos podem fazer?

    A partir de 06 de janeiro de 2020, teremos:

    1) Redução do Limite do Cheque Especial: Precisará comunicar o cliente, com no mínimo trinta dias de antecedência;

    Os limites podem ser reduzidos desde que verificada deterioração do perfil de risco de crédito do cliente, conforme critérios definidos na política de gerenciamento do risco de crédito.

    2) Aumento do Limite do Cheque Especial: Ser condicionada à prévia autorização do cliente, obtida a cada oferta de aumento de limite. O cliente precisa aprovar, porque haverá a cobrança de tarifa de até 0,25% sobre o valor do limite disponibilizado do cheque especial para limites acima de R$ 500.

    Aumento ou Redução do Limite do Cheque Especial Foto: 500px

    Aumento ou Redução do Limite do Cheque Especial

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Financiamento de Casa fora do SFH

    O título deste post parece estranho, porque quase ninguém sabe o que é SFH.

    O SFH é denominado Sistema Financeiro da Habitação, cujo o financiamento para compra de uma casa tem benefícios, que são:

    -Taxa de juros menores e com limite de 12% ao ano, porque utiliza recursos da poupança.

    -Possibilidade de utilizar o FGTS para abater o saldo devedor do financiamento da casa.

    A partir de abril de 2020, a pessoa que possui um financiamento fora do SFH, poderá realizar a portabilidade de crédito para o SFH, desde que atenda os parâmetros do SFH.

    A economia no valor de juros poderá ser muito grande. Utilize os simuladores da Rock The Bank e veja quanto você pode ganhar.

    Para um financiamento de casa com prazo de 35 anos e valor financiado de R$ 300 mil. A redução de juros de 1%, poderá gerar uma economia de R$ 89 mil de juros (Rock The Bank não garante os resultados das simulações).

    Outra vantagem é a possibilidade de realizar a Portabilidade, o que permite não pagamento de certas tarifas e impostos.

    Financiamento Casa fora do SFH Foto: 500px

    Financiamento Casa fora do SFH

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Tarifa de Cheque Especial. Fique Atento.

    Os bancos poderão cobrar uma tarifa de cheque especial a partir de junho de 2020.

    As regras são:

    -Não se pode cobrar a tarifa para limites de crédito até R$ 500.

    -Para limites acima de R$ 500, pode-se cobrar uma tarifa mensal de até 0,25% sobre o valor do limite que exceder R$ 500.

    -A tarifa deverá ser descontada do valor devido dos juros do cheque especial no respectivo mês.

    Basicamente, a mensagem é simples:

    Não vale a pena ter um limite de cheque especial alto. Porque, agora os bancos irão cobrar uma taxa de 0,25% sobre o valor do limite que for superior a R$ 500.

    Exemplo:

    -Se tem um limite de R$ 2.000 de cheque especial. O valor superior a R$ 500 é de R$ 1.500. Portanto R$ 1.500 x 0,25% = R$ 3,75 de tarifa por mês.

    -Se tem um limite de R$ 10.000 de cheque especial. O valor superior a R$ 500 é de R$ 9.500. Portanto R$ 9.500 x 0,25% = R$ 23,75 de tarifa por mês.

    Tarifa do Cheque Especial Foto: 500px

    Tarifa do Cheque Especial

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Taxa Máxima de 8% ao mês no Cheque Especial

    A partir de 06 de janeiro de 2020, a taxa máxima do cheque especial será de 8% ao mês, o que corresponde a 152% ao ano.

    Essa é uma mudança importante, porque vai ajudar as pessoas a pagarem menos juros para os bancos.

    Antes da mudança da regra, existiam bancos que cobravam 435% ao ano no cheque especial, ou 15% ao mês.

    Exemplo:

    a) Para um uso de R$ 1.000 no cheque especial em um 1 ano:

    -Nova regra (máximo de 8% ao mês): Juros de R$ 1.518

    -Com taxa de 15% ao mês: Juros de R$ 4.350


    b) Para um uso de R$ 5.000 no cheque especial em 1 ano:

    -Nova regra (máximo de 8% ao mês): Juros de R$ 7.590

    -Com taxa de 15% ao mês: Juros de R$ 21.751


    "O objetivo dessa medida é corrigir falha de mercado no produto cheque especial, visando reduzir seu custo e sua regressividade - considerando que o produto é mais utilizado por clientes de menor poder aquisitivo e educação financeira - e racionalizar o seu uso pelo cliente". Nota do Banco Central

    Cheque Especial Foto: 500px

    Cheque Especial

  • + analise

    John Templenton: A maioria dos investidores compra na alta e vende na baixa. Quase todo mundo faz isso, mas ninguém admite

    John disse: "Claro, você pode dizer, compre quando estiver barato, isso é óbvio. Pode ser, mas não é assim que o mercado funciona. Quando os preços estão altos, um monte de investidores está comprando. 


    Os preços estão baixos quando a demanda está baixa, os investidores saíram, as pessoas estão desencorajadas e pessimistas. 

    Quando quase todo mundo está pessimista ao mesmo tempo, todo o mercado colapsa e investidores ficam de lado, sentados sobre suas carteiras. 

    Sim, eles dizem "Compre na baixa, venda na alta"", mas muitos deles compram na alta e vendem na baixa.  E quando eles compram? A resposta normal: "Oras, depois que os analistas concordam que a previsão está mais favorável.""

    Isso é tolice, mas é a natureza humana.

    Pensando em comprar na alta? Foto: 500px

    Pensando em comprar na alta?