Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Enquete

    Quando vê algo em promoção você:

    Vote de acordo com sua realidade.

    • 19 0
      19 pontos
      Compra por ser uma boa promoção

      Compra por ser uma boa promoção

    • 16 0
      16 pontos
      Analisa a necessidade e o seu orçamento

      Analisa a necessidade e o seu orçamento

    • 14 0
      14 pontos
      Compra porque não terá outra oportunidade

      Compra porque não terá outra oportunidade

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Análise

    As piores dívidas que você pode fazer na vida

    Fuja dessas dívidas ou elas ficarão um bom tempo em sua vida...

    Essas são as piores dívidas que alguém pode fazer com um banco ou financeira.

    No entanto, são as mais recorrentes. Ou seja, a maioria dos brasileiros recorrem àquilo que os levarão para a forca e não conseguem sair facilmente.

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Análise

    7 motivos para comprar à vista

    Quase ninguém resiste e acaba comprando tudo parcelado só para ter logo aquele produto ou serviço e tem a ilusão de que pagar um pouco todo mês é a melhor estratégia.

    Porém, essa prática, na verdade, te faz perder dinheiro e compromete, e muito, suas finanças.

    Mas qual a melhor estratégia?

    Comprar à vista! Ainda que você ache que está tirando uma quantia de dinheiro de uma vez, com o tempo, verá que deveria ter feito isso a vida toda!

    Mas por que você deve comprar à vista?

    Vamos aos principais motivos para comprar à vista:

    1-Pode conseguir desconto;

    2-Facilidade no controle de gastos;

    3-Não paga juros;

    4-Simplifica o planejamento financeiro;

    5-Não paga certos impostos (compra crediário);

    6-Não compromete sua renda nos próximos meses;

    7-Não corre o risco de pagar multa em caso de atraso.

    Ou seja, você poupa muito!

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Análise

    Famílias mais ricas estão se endividando mais

    Vem aumentando o percentual de famílias endividadas com cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal, prestação de carro e de casa. Em janeiro, cujo índice era de 66,5%, subiu para 66,7% em fevereiro e tem aumentado gradativamente.

    Por incrível que pareça, não são as famílias de baixa renda que lideram esse contingente. A proporção de endividamento de famílias com renda acima de 10 salários mínimos tem sido maior que famílias com renda inferior a isso.

    Para se ter uma ideia, enquanto as famílias com menos de 10 salários mantiveram com índices estáveis em 67,9%, aquelas com renda superior, subiu o índice em 1,4% de janeiro (60,7%) para fevereiro (62,1%). Desde novembro de 2020, esse índice tem crescido de forma intensa.

    Mas por que as famílias mais ricas se endividam mais?

    É como dizem: quanto mais ganha, mais gasta. Devido ao costume do alto padrão de vida, as famílias mais ricas estão revertendo suas reservas e poupanças ao consumo, enquanto que as famílias de baixa renda, já têm o costume de manter um consumo mais restrito e que se viram ainda mais necessitados em ser rigorosos quanto ao orçamento com o fim do auxílio emergencial.

    A crise do Covid-19 mostrou que, independente da classe social, é importante fazer uma reserva financeira: seja uma reserva para emergências, seja uma reserva para aposentadoria, seja para adquirir bens de mais alto valor.


    Luxando sem poder? Foto: 500px

    Luxando sem poder?

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    Energia não poderá ser cortada por inadimplência

    Devido ao agravamento da pandemia e de seus impactos econômicos, a Diretoria da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), por unanimidade, decidiu aprovar a emissão de Resolução Normativa contendo medidas excepcionais e temporárias de enfrentamento da pandemia do Covid-19. Para garantir a continuidade do fornecimento de energia, suspendeu o corte de energia por inadimplência de consumidores de baixa renda em todo o Brasil.

    A medida vale até 30 de junho, cujos beneficiados são:

    - Consumidores da tarifa social de energia elétrica, ou seja, aqueles de baixa renda que têm abatimento mensal na conta de luz: famílias inscritas no Cadastro Único com renda mensal menor ou igual a meio salário-mínimo por pessoa; famílias com portador de doença que precise de aparelho elétrico para o tratamento - nesse caso, com renda mensal de até três salários-mínimos; famílias com integrante que receba o Benefício de Prestação Continuada

    (aproximadamente, 12 milhões de famílias serão beneficiadas);

    - Unidades consumidoras com equipamentos vitais à preservação da vida e dependentes de energia elétrica;

    - Unidades de saúde, tais como, unidades hospitalares, institutos médico-legais, centros de hemodiálise e de armazenamento de sangue e centros de produção, armazenamento e distribuição de vacinas e soros.

    Houve também, a suspensão do prazo para o corte de energia de faturas antigas, fazendo com que esses consumidores passem a dispor de mais tempo para quitar suas contas.

    De outro lado, para que as distribuidoras preservem o seu caixa para enfrentar possível aumento da inadimplência dos consumidores de baixa renda, elas poderão, durante a vigência desta medida, suspender o pagamento das compensações por eventual má qualidade do serviço, devendo creditá-las aos consumidores até 31 de dezembro deste ano de 2021.

    Suspensão do corte de energia Foto: 500px

    Suspensão do corte de energia

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Enquete

    Qual a melhor forma de controlar os gastos?

    Vote de acordo com suas experiências.

    • 20 0
      20 pontos
      Planilha

      Planilha

    • 13 0
      13 pontos
      Aplicativos

      Aplicativos

    • 10 0
      10 pontos
      Caderno de anotações

      Caderno de anotações

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Análise

    O perigo em depender do gerente do banco e do youtuber de finanças

    Aprenda uma coisa: não dependa de ninguém para gerir suas finanças.

    Um dos objetivos da vida é se tornar independente financeiramente, crescer e aumentar ganhos... Certo?! Na verdade, NÃO É APENAS ISSO! Certamente, todos querem ter a segurança do que fazer com suas finanças para conquistar tal independência financeira, para investir ou para render mais dinheiro.

    Talvez ainda não tenha se dado conta de que precise parar de depender daquilo que mais te influencia e pode te levar à “falência”: AS PESSOAS!

    Para tudo dependemos de pessoas no nosso dia a dia. São pessoas que prestam serviços, que fornecem produtos, que executam todas as atividades que precisamos.

    E aqui o cuidado: pessoas não são robôs programados, imparciais e impessoais. As pessoas costumam agir conforme os próprios interesses e estes podem não ser os seus (consultor, gerente de banco), ou elas podem não ter conhecimento suficiente para te orientar ao que será bom para você (aquele famoso youtuber de finanças, cônjuge, parente).

    Por isso que, para ter sua independência financeira e gerir suas finanças, você precisa lidar com certas pessoas, porém, não pode depender delas. Dependa de você!

    E para depender de você mesmo, deve saber o que fazer e como fazer.

    E todas as ferramentas para isso estão, gratuitamente, disponíveis aqui em nossa plataforma:

    - Surgiu qualquer dúvida? Pergunte em nossa COMUNIDADE e nossos especialistas em economia te responderão;

    - Precisa de conteúdos, vídeos, planilhas e aplicativos para finanças? Acesse EDUCAÇÃO FINANCEIRA e veja nossa seleção;

    - Não sabe o que afeta suas finanças? Saiba através de notícias, análises e enquetes relevantes para você aqui no ESPAÇO ROCK.

    - Pretende fazer financiamento pessoal, de casa, de carro? Crédito para quem tem dívida? Saber o valor do seu trabalho? Faça as simulações na página SIMULADORES.

    - Precisa saber as taxas do seu Banco ou de outros para fazer simulações? Temos todas as taxas atualizadas em SEU BANCO.

    - Quer saber a respeito do seu ou de outro Banco? Qual é melhor? Saiba em SEU BANCO.

    - Precisa fazer reclamação do seu Banco? Reclame em SEU BANCO e ajudaremos a resolver.

    - Tem dívida até 3 mil reais? Você pode participar do nosso trabalho social PAGAMOS SUA DÍVIDA.

    Está bom ou quer mais? Pois tem mais e com recompensa! À medida que você aprende e interage em nossa plataforma, você ganha Rocks, nossa moeda virtual.

    Não cai nessa! Foto: 500px

    Não cai nessa!

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Análise

    Quer render seu dinheiro?

    Muita gente acha que, por ganhar pouco, não conseguirá render o dinheiro, nem investir, poupar, pagar todas as dívidas e sair do zero.

    E render dinheiro não é só aumentar valores de ganho, mas também dos ganhos serem suficientes para viver uma vida tranquila, como aquelas pessoas que até ganham bem, mas nunca conseguem constituir nada e só fica no vermelho.

    Por isso, ajudamos centenas de pessoas em nossa plataforma (rock.com.br) a entenderem que elas podem saber o que fazer para resolver seus problemas financeiros e render dinheiro e que Educação Financeira não é chato, complicado ou que é só para quem é mais “velho” (experiente), para quem já seja investidor ou economista.

    São coisas simples a fazer, mas muitos não as conhecem. Algumas podem parecer óbvias, mas não são feitas.

    Por isso, milhares se esforçam por anos tentando melhorar sua condição financeira, mas não saem do lugar.

    Os 3 passos para começar a render o seu dinheiro também são simples:

    1) Controle os gastos. Controle tudo o que você gasta. Pode ser através de uma planilha excel, um caderninho ou um aplicativo. O importante é controlar os gastos para saber em que está gastando, onde pode diminuir e até quanto pode-se gastar por mês. Siga um princípio importante: Não gaste mais do que ganha! Em nossa plataforma, na página EDUCAÇÃO FINANCEIRA, selecionamos as melhores planilhas e aplicativos para você.

    2) Comece a investir um pouco todo mês. Pode ser 5%, 10%, 15% da renda mensal. Recomenda-se iniciar investimentos no Tesouro Direto Selic, cujo investimento inicial é de apenas R$ 30. O objetivo é criar uma reserva de emergência e depois criar um patrimônio. Para fazer isso, crie uma conta em uma corretora como XP Investimentos, BTG Pactual Digital ou Easynvest. 

    3) Diversifique investimentos. Também pode diversificar o portfólio com Tesouro Direto IPC-A e Tesouro Direto Pré-fixado, CDB, LCI, LCA, Fundos Imobiliários e Renda Variável (esses dois últimos é recomendável procurar especialistas credenciados).

    Bora praticar? Melhor maneira de render é praticando e começando agora! 

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    2021 começou com mais famílias endividadas

    Se o índice de endividamento das famílias com mais de 10 salários mínimos de renda mensal aumentou, imagina o índice das famílias de baixa renda que sofreram impacto pelo fim do auxílio emergencial que se deu a partir de janeiro deste ano.

    A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) mostrou em sua pesquisa que o percentual de famílias que relataram ter dívidas (cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal, prestação de carro e de casa) alcançou 66,5% em janeiro, alta de 0,2 ponto percentual em relação a dezembro de 2020 e de 1,2 ponto em relação a janeiro de 2020.

    Por outro lado, o índice de inadimplência caiu, ou seja, o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso caiu para 24,8% em janeiro, ante 25,2% em dezembro. A parcela das famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso – e que, portanto, permanecerão inadimplentes – reduziu-se novamente, passando de 11,2% em dezembro para 10,9% do total de famílias em janeiro.

    Em relação à capacidade de pagamento, entre as famílias endividadas, a parcela média da renda comprometida com dívidas alcançou 30,3% da renda mensal, novo aumento de 0,1 ponto percentual, em relação a dezembro. Nas famílias com até 10 salários, a parcela média da renda dedicada ao pagamento de dívidas por esse grupo aumentou pela quarta vez, na comparação mensal, de 30,8% para 30,9%. Nas famílias com renda acima de 10 salários mensais, a parcela média da renda comprometida aumentou pela primeira vez desde agosto passado, atingindo 27,6% em janeiro.

    Como não é novidade, o cartão de crédito, modalidade associada ao consumo imediato e de curto prazo, é a principal dívida das famílias brasileiras, tendo em janeiro deste ano, chegado à máxima histórica de 80,5% do total de famílias, ante 79,4% em dezembro de 2020. Famílias com até 10 salários, as dívidas com cartão de crédito são de 81,1% e, das famílias com mais de 10 salários é de 78,1%.

    Atrás do cartão de crédito, os tipos de dívidas com maiores percentuais em janeiro de 2021 foram, respectivamente, carnês (16,8%), financiamento de carro (9,9%), crédito pessoal (8,4%) e financiamento de casa (8,3%).

    Esse estudo observou que a proporção de famílias com dívidas tem crescido de forma mais intensa entre as famílias com mais de 10 salários mínimos de renda mensal, desde novembro passado.

    Certo é que, de uma forma ou de outra, todas as famílias brasileiras, independente da faixa de renda mensal, precisam organizar suas finanças de maneira mais incisiva para conseguir adimplir suas dívidas e não contrair mais.

    Mais da metade das famílias brasileiras endividadas Foto: 500px

    Mais da metade das famílias brasileiras endividadas

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Enquete

    O que mais impede as pessoas de controlar os próprios gastos?

    Escolha a opção que faz com que as pessoas mais gastem.

    • 26 0
      26 pontos
      Falta de conhecimento financeiro

      Falta de conhecimento financeiro

    • 22 0
      22 pontos
      Falta de planejamento financeiro

      Falta de planejamento financeiro

    • 17 0
      17 pontos
      Ter maus hábitos

      Ter maus hábitos

    • 15 0
      15 pontos
      Querer ostentar

      Querer ostentar