Foto de Rock
Rock Rubi

+ Notícia

O golpe do PIX agendado é verdade?

Está circulando no WhatsApp uma mensagem contando sobre um novo golpe que estariam aplicando nas pessoas através do Pix agendado.

Segundo a mensagem, uma pessoa teria recebido um Pix de certo valor, na opção agendada e não sabia quem havia mandado.

Que logo em seguida, teria recebido uma mensagem de WhatsApp de uma pessoa desesperada falando que tinha feito um Pix errado e se poderia lhe devolver com urgência.

Segundo conta a história, não deixaram a suposta vítima “devolver” o valor porque viram que o Pix estava agendado e orientaram para que ela dissesse que devolveria quando o dinheiro estivesse na conta dela no dia para qual foi agendado. Ao chegar no dia de agendamento do Pix, o dinheiro não teria caído e fora pedido para as pessoas se atentarem a esse novo golpe.

Com isso, muitas pessoas começaram a questionar a segurança do Pix agendado que daria brecha para esse golpe acontecer.

Nesta semana, o Banco Central se pronunciou afirmando que esse golpe do Pix agendado é BOATO, pelos seguintes motivos:

- O banco RECEBEDOR não tem como saber que existe um Pix agendado para uma conta em data futura;

- O Pix agendado fica no sistema do banco PAGADOR, mas não fica visível para quem vai receber até que a transação seja confirmada;

- A informação não aparece no extrato do cliente ou em qualquer outro lugar;

- Todas as operações do Pix são rastreáveis e podem identificar os titulares das contas de origem e de destino de toda e qualquer transação de pagamento no Pix.

Assim, no caso da história que circula, não teria como ela ter recebido uma notificação de recebimento de Pix, já que o Pix agendado só aparece para quem vai receber depois que o dinheiro cai em conta no dia que fora agendado e com identificação de quem enviou.

De uma forma ou de outra, boato ou não, todo cuidado é pouco. Sempre que receber qualquer mensagem de cobrança, ou de foi mandado um dinheiro indevido, faça contato imediato com o seu banco.

Será possível? Foto: 500px

Será possível?