Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    XP Investimentos lança cartão de crédito que promete dar uma agitada nos grandes bancos

    Isso mesmo que você leu! A XP Investimentos dará um rock nos grandes bancos com o lançamento do seu cartão de crédito! Isso porque os seus métodos serão totalmente opostos aos métodos usados pelos bancos quando do serviço de cartão de crédito, que só querem capitalizar sobre os clientes e ganhar na cobrança de altos juros.

    A XP Investimentos é uma corretora de valores brasileira, considerada uma das maiores corretoras independentes do Brasil, com o lançamento do cartão, ela começa a incorporar serviços bancários em sua plataforma, aproximando consumo e investimento, prometendo não parar por aí: até o final de 2021 pretendem lançar a conta digital para que o cliente tenha as suas finanças concentradas ali, sem precisar possuir conta em outro banco.

    Neste início, o cartão estará disponível apenas para os clientes com mais de R$ 50 mil na XP, mas a pretensão é que, até final do ano, chegue a todos.

    Quais são os diferenciais do cartão de crédito da XP?

    1) Não há cobrança de anuidade;

    2) Taxa de juros, em média, 50% mais baixa do que a cobrada do mercado;

    3) Transforma os gastos em investimentos, resgatáveis a qualquer momento, com:

    - “Investback” espécie de programa de milhagens sem pegadinhas, que retorna 1% do valor das compras feitas com o cartão que será depositado em um fundo de investimento exclusivo da XP, com liquidez diária (para isso grande parte dos ativos deve ser aplicado em títulos do tesouro) e sem taxa de administração.

    - Portal “cashback” com dezenas de lojas habilitadas. Ao comprar nesse ambiente, o cliente terá retorno em benefício: 2% a 10% em “investbacks”, diretamente na conta.

    O aumento de concorrência é um fator positivo para os consumidores. Ressalta-se que 90% dos investimentos dos brasileiros ainda estão nos grandes bancos e essa nova possibilidade de cartão e de demais serviços bancários na XP prometem reverter isso. Do teste feito com 35 mil pessoas que estavam usando o produto, observou-se que elas aumentaram seus investimentos em 10% na corretora, indicando um fluxo de recursos dos grandes bancos para a plataforma.

    Agitando a concorrência Foto: 500px

    Agitando a concorrência

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    Pirâmide Financeira: Famosos caem em golpe de R$ 170 milhões

    Apesar desse tipo de golpe ser aplicado há muito tempo, milhares de pessoas continuam caindo e suportando enormes prejuízos financeiros, inclusive famosos, como Cristiana Pompeo que perdeu dez anos de FGTS na pirâmide financeira, o jogador Zico e o comediante Sérgio Mallandro, que caíram no golpe da JJ Invest que movimentou em torno de R$ 170 milhões.

    Até o Neymar foi usado para divulgação, usando uma camisa da JJ Invest em uma partida beneficente patrocinada pela empresa. Além disso ter sido um forte ponto para divulgar a pirâmide e conquistar a “confiança” das pessoas, outros fatores também contribuíram para que as vítimas achassem que, realmente, não se tratava de um golpe, como promessas de lucros rápidos de 10 a 15% e ter patrocinado 24 times de futebol (vários da primeira divisão), inclusive ter sua marca estampada nas camisas de grandes times.

    Contudo, desde 2019, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) emitiu um alerta ao mercado, informando que o fundador da JJ Invest, Jonas Jaimovick, não tinha autorização para exercer atividade de administração de carteiras e de consultoria de valores mobiliários.

    Recentemente, após estourar o golpe, ele foi preso, tendo sido considerado pela polícia como o maior operador de pirâmides do país.

    Para quem não sabe, a pirâmide financeira é um esquema de negócio que funciona através da indicação de novos membros que investem (pagam uma taxa de adesão) para sustentar membros antigos. Geralmente, alguém que já esteja na pirâmide chama outras pessoas, dizendo ser uma chance imperdível e, à medida que mais pessoas entram, mais cresce a base de associados, por isso o nome “pirâmide”, vez que os níveis de baixo, sustentam os de cima e o dinheiro sempre flui em direção ao topo.

    Porém, elas se tornam insustentáveis com o tempo: a capacidade de atração de novos membros atinge o limite, fazendo com que o pagamento aos associados começa a atrasar e estes não conseguem fazer contato direto com o líder da pirâmide para cobrar, vez que a maioria dos investidores só conhece a pessoa que o atraiu para o esquema.

    Isso não se trata apenas de um negócio que não deu certo, atrair pessoas a investirem em algo que sabe que não se sustenta é crime contra a economia popular, tipificado no art. 2º, inciso IX, da Lei nº 1521/51, chamado por “crime de pirâmide” ou “esquema de pirâmide” que consiste em tentar ou obter ganhos ilícitos, através de especulações ou meios fraudulentos, causando prejuízo a diversas pessoas.

    Tanto o líder da pirâmide quanto aqueles que participam, tendo lucro ou prejuízo, cometem crime.

    Pegadinha do Mallandro? Foto: 500px

    Pegadinha do Mallandro?

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    Bolsa de Valores: investidores acusam influencer de perder R$ 30 milhões

    Vinícius Ibraim, economista e influencer no ramo do mercado financeiro (com 164 mil seguidores só no Instagram), conhecido por operar ao vivo na Bolsa de Valores e vender cursos por R$5 mil, foi acusado por investidores como responsável pela perda de R$30 milhões após uma operação na Bolsa em 27 de outubro.

    O trader financeiro prometia retorno de no mínimo 2 até 10% ao mês e mostrava ao vivo de como o dinheiro aplicado na Bolsa poderia ser rentável.

    Segundo as vítimas, os valores eram depositados diretamente na conta de Ibraim para que fossem investidos em um suposto Fundo (Fundo Vinicius Ibraim – intitulado pelo próprio) que, além de não ter um CNPJ, não era registrado na Comissão de Valores Mobiliários.

    No instante da fracassada operação, ele desligou a transmissão ao vivo e apagou suas redes e canais sociais, canal no YouTube e sites, deletando todos os cursos sobre aplicações financeiras existentes em plataformas educacionais.

    Estima-se que 200 investidores foram prejudicados, cujo número versus valor da perda, demonstra que cada um investiu valores altos, à exemplo de uma das vítimas que afirmou ter aplicado mais de R$60 mil.

    O proprietário da agência de publicidade que realizava o marketing para Ibraim afirmou que também sofreu prejuízos, vez que sua agência ganhava comissão em cima do conteúdo digital produzido e está reembolsando todas as pessoas que compraram o curso on-line em plataformas educacionais.

    Finalmente, no dia 06 de novembro, Ibraim apareceu em um vídeo dando explicações sobre o ocorrido, além de desabafar que teria sumido devida a ameaças que recebeu, informando, ainda, de que o prejuízo teria sido em torno de R$700mil e que irá reembolsar os investidores.

    Contudo, quem entende um pouco sobre o assunto sabe que isso se trata de duas coisas diferentes:

    1 - Perdeu R$700mil e ficou inadimplente na Bolsa, tendo sido impedido de operar desde 06 outubro deste ano a pedido da corretora com a qual operava como investidor por não liquidar débitos relativos às operações. Ou seja, ele já não podia operar na Bolsa quando o fez pela última vez.

    2 - Ele tem R$30 milhões dos clientes para os quais ainda não liberou o dinheiro.

    Altos riscos Foto: 500px

    Altos riscos

    • Foto de zillner
      zillner

      Muito perigoso esses ifluencers digitais sobre bolsa de valores.

      +
  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    Ronaldinho Gaúcho: Empresa 18K é acusado de pirâmide financeira

    O Ministério Público apura uma denúncia de crime de pirâmide financeira cometido pela empresa 18k Ronaldinho. A empresa tinha um contrato com Ronaldinho Gaúcho, mas foi cancelado.

    Centenas de clientes ainda tem o dinheiro bloqueado na plataforma on-line que prometia rendimentos de até 2% ao dia. Ou 14.597% em 1 ano, considerando 252 dias úteis.

    Mais pessoas caindo no conto do dinheiro fácil. Como funciona esses esquemas:

    -Dizem que podem ter ganhos garantidos de até 2% ao dia. 

    -Dizem que tem um robô ou inteligência artificial que faz arbitragens com criptomoedas e sempre ganha.

    -Dizem que ganham com mineração de criptomoedas.

    -Mostram um relatório com ganhos diários. Como se seu dinheiro aumentasse todo o dia. Papel e tela de computador aceitam qualquer coisa.

    O problema de pirâmides financeiras: quando ocorre resgates descobre-se o rombo. Enquanto, ocorre apenas aportes, ninguém percebe a fraude.

    Usaram o Ronaldinho Gaúcho como garoto propaganda para gerar credibilidade.

    Segue abaixo o link do Reclame Aqui:

    https://www.reclameaqui.com.br/empresa/18k-ronaldinho/

    Contos de Riqueza Fácil Foto: 500px

    Contos de Riqueza Fácil

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    Corretora fecha das portas com 60 mil clientes

    Corretora Gradual encerra atividades depois de investigações da Polícia Federal

    Foto Notícia
    Folha de S.Paulo

    Investigada pela PF, Gradual Investimentos encerra atividades na Bolsa - 15/05/2018 - Mercado - Folha

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    TelexFree: Golpe que afetou 2 milhões de pessoas no Brasil

    Mais golpe. As pessoas continuam acreditar no dinheiro fácil.

    Foto Notícia
    Espírito Santo

    G1 - Telexfree: 2 milhões de pessoas esperam há três anos pelo dinheiro - notícias em Espírito Santo

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    D9 Clube de Empreendedores

    Brasileiros perdem R$ 200 milhões com golpe. 

    Foto Notícia
    Cotidiano

    Bitcoins, pirâmide financeira e fuga para Dubai: brasileiro aplica golpe de R$ 200 milhões - Notícias - Cotidiano

  • Foto de Rock
    Rock Rubi

    + Notícia

    Fundo de Investimento: Pirâmide

    Suspensa negociação de cotas de fundo

    A CVM determinou a suspensão do fundo administrado pela Planner Corretora de Valores. 

    O fundo chama-se Mérito Desenvolvimento Imobiliário, um fundo de investimento imobiliário.

    Segundo a CVM, a remuneração ou a rentabilidade do fundo não era verdadeira. Era sustentada pela entrada de novos cotistas. Esse esquema é conhecido como pirâmide.

    Temos que tomar cuidado com os fundos. Avaliar bem o administrador, sua reputação e seu histórico.

    None