Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Não diminua seu score! Use os simuladores da Rock

    O score de crédito é a “nota” dada a uma pessoa de acordo com o seu histórico de pagadora. Ele considera uma série de variáveis para avaliar qual é a probabilidade de alguém pagar as contas em dia nos próximos 12 meses. Quanto maior a pontuação, mais fácil será ter acesso a diversas modalidades de crédito.

    De 0 a 300 é considerada faixa baixa; de 301 a 500: faixa regular; de 501 a 700: faixa boa; e de 701 a 1000: faixa excelente.

    Não há segredo para aumentar o score, basta estar em dia com todos os tipos de dívidas: bancárias, luz, água, internet, gás entre outras. Quando você renegocia uma dívida e paga as parcelas em dia também aumenta o score.

    Por outro lado, algumas condutas também podem diminuir seu score: atrasar o pagamento de contas, tomar um empréstimo recentemente, renda mensal diminuiu etc.

    Consultar crédito em vários bancos também diminui o seu score. Se você anda de banco em banco consultando opções de crédito e linhas de empréstimo, seu score diminui. Assim, pesquisar várias opções de crédito e não aceitar, é visto como sinal que não esteja em condições de arcar com esses compromissos.

    Para evitar que você consulte crédito nos bancos ou financeiras, que fará com que diminua seu score, saiba que utilizando os SIMULADORES da Rock, você não precisará ir de banco em banco, nem afetar sua pontuação.

    Isso porque, além de poder usar os nossos simuladores gratuitamente quantas vezes quiser para simular vários tipos de crédito, na página SEU BANCO você encontra as taxas atualizadas de todos os produtos de crédito dos bancos. Assim, além de não precisar ir aos bancos e financeiras simular créditos e diminuir seu score, também não precisará ir de banco em banco para saber suas taxas para usar os simuladores.

    - Para acessar as taxas dos bancos: https://rock.com.br/seu-banco/taxas/

    - Para acessar os simuladores: https://rock.com.br/simuladores/

    Mantendo o seu score lá no alto! Foto: shutterstock

    Mantendo o seu score lá no alto!

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Projeto Garantias pode liberar R$ 12 trilhões de crédito

    O novo projeto de Garantias apresentado pelo governo tem o potencial de liberar até R$ 12 trilhões em créditos novos. Estimativas mais conservadoras indicam um potencial de R$ 8 trilhões.

    Além do volume, a expectativa é de uma forte redução dos juros cobrados pelos bancos.

    Um dos temas centrais é a criação das Instituições Gestoras de Garantias (IGGs). O IGG permitirá que um bem terá seu valor fracionado para servir de garantia para vários contratos de empréstimos.

    Por exemplo, uma casa de R$ 1 milhão poderia ser utilizada para vários empréstimos.

    O IGG irá avaliar o bem e determinar quanto de crédito poderá ser liberado. Os empréstimos poderão ser feitos nos bancos credenciados no IGG.

    Em caso de inadimplência, o IGG venderá o bem e liquidará o empréstimo.

    Outro ponto importante: coloca em lei algo que já está na jurisprudência, o limite de 50% do valor de avaliação para determinar preço vil.

    Casa como garantia para vários empréstimos Foto: 500px

    Casa como garantia para vários empréstimos

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Os segredos do Financiamento de Casa

    A taxa de juros média do financiamento imobiliário subiu de 6,3% em março de 2021 para 7,5% em agosto de 2021. 

    O financiamento imobiliário compromete muito a renda das pessoas por 4 motivos: prazo longo, taxa, tabela de amortização e o valor do imóvel.

    Portanto, a melhor estratégia para o financiamento imobiliário é:

    1) Menor prazo possível

    Fuja dos prazos de 25, 30, 35 anos. Faça prazos de 10 anos ou no máximo 15 anos. Exemplo: Financiamento tabela price (prestação constante), valor financiado de R$ 100 mil e taxa de 7,5% ao ano. 

    a) 35 anos: Juros de R$ 175,8 mil, prestação mensal de R$ 657;

    b) 15 anos: Juros de R$ 64,3 mil, prestação mensal de R$ 913;

    c) 10 anos: Juros de R$ 40,9 mil, prestação mensal de R$ 1.174.

    2) Escolha tabela de amortização SAC

    A tabela Sac tem prestações decrescentes, portanto você paga mais antes e menos depois. Por este motivo, o impacto do juros é menor. 

    O mesmo exemplo acima comparado com SAC.

    a) 35 anos: juros de R$ 123,1 mil (Price de R$ 175,8 mil);

    b) 15 anos: juros de 52,9 mil (Price de R$ 64,3 mil);

    c) 10 anos: juros de R$ 35,4 mil (Price de R$ 40,9 mil).

    3) Taxas Menores

    Se você têm financiamentos com taxas altas: 10%, 12%, vale a pena realizar a Portabilidade de Finaciamento de Casa e reduzir o valor da dívida. No entanto, paga-se novamente todos os custos de vistoria, avaliação do imóvel e cartório. Vamos comparar o exemplo acima com juros de 12% e tabela price:

    a) 35 anos: juros de R$ 306,2 mil (juros de 7,5%: R$ 175,8 mil);

    b) 15 anos: juros de R$ 108,9 mil (juros de 7,5%: R$ 64,3 mil);

    c) 10 anos: juros de R$ 67,9 mil (juros de 7,5%: R$ 40,9 mil).

    4) Aumentar o valor da entrada

    Se você der um valor maior de entrada, vai reduzir os juros no valor proporcional. Se der R$ 50 mil de entrada, no exemplo acima, vai reduzir os juros pela metade em todas as simulações.

    Portanto, os segredos dos financiamentos imobiliários são:

    -Escolha Tabela SAC;

    -Prazos menores: 10, 15 anos;

    -Taxas menores;

    -Aumentar o valor da entrada;

    -Para quem já tem um finciamento com taxas altas, realizar a Portabilidade de Crédito.

    Para mais simulações, utilize o Simulador da Rock:

    https://rock.com.br/simuladores/financiamento-casa/

    Segredos do Financiamento Foto: 500px

    Segredos do Financiamento

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Como financiar um imóvel com menos juros

    Seguindo esses passos, você não deixará tanto dinheiro para os bancos ou financeiras!

    Só a Rock possui taxas atualizadas de todos os bancos e simuladores gratuitos para fazer quantas simulações quiser!

    Para acessar as taxas: https://rock.com.br/seu-banco/taxas/

    Para acessar os simuladores: https://rock.com.br/simuladores/

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Ampliação da margem e da carência do consignado: isso é realmente bom?

    No dia 30 de março, foi sancionada a Lei 14.131 que aumentou em 5% o percentual da margem para contratação do crédito consignado com desconto automático em folha de pagamento até 31 de dezembro deste ano de 2021, bem como facultou a concessão de carência, por até 120 dias tanto para novas operações quanto aquelas firmadas antes da referida Lei, mantendo-se a incidência, durante o período de carência, de juros e demais encargos contratados.

    A margem aumentou de 30% para 35% da renda ou benefício.

    Desde então, para adaptar a essas medidas, os órgãos públicos responsáveis pelos principais convênios de consignação estavam adequando os seus sistemas de processamento e gestão da folha de pagamento, bem como os bancos se preparando mais conceder mais crédito e, mediante acordo, conceder a carência para antigos e novos consignados.

    Tem-se dito que o principal objetivo é aliviar a pressão sobre os orçamentos familiares de servidores públicos, aposentados, pensionistas do INSS e empregados de empresas privadas através de um empréstimo com mais recursos e maior prazo.

    Por outro lado, estar com 35% do salário comprometido com pagamento de empréstimo consignado é bastante alto, o que em um primeiro momento significa alívio financeiro. Em outro momento, representa menos salário ou benefício líquido do desconto do consignado. Isso pode tornar-se uma bola de neve, cujo empréstimo nunca tem fim.


    Para visualizar o texto completo da Lei 14.131/21, acesse:

    https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/lei-n-14.131-de-30-de-marco-de-2021-311647165

    Os dois lados Foto: 500px

    Os dois lados

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Consignado: vale a pena trocar de banco?

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Cuidado em ser fiador. Provérbios 6:1-5, Provérbios 11:15, Provérbios 17:18

    Primeiro, vamos explicar a diferença entre fiador e avalista. 

    Ao assinar o contrato, o fiador é responsável por todo o documento, ou seja, responde por todas as cláusulas contratuais, caso haja algum desrespeito. O avalista, no entanto, é responsável apenas pelo valor do título, ou seja, pelo valor contratado, sem a incidência dos juros e encargos, em caso de atraso no pagamento.

    O fiador assina o próprio contrato ou documento à parte, enquanto o avalista assina um título de crédito. 

    Outra diferença importante entre um e outro está na preferência de ordem da execução. No caso da fiança, em caso de inadimplência, o devedor é acionado primeiro. Depois, o fiador é acionado.

    No aval, não existe preferência de ordem, portanto, o credor pode executar qualquer uma das partes. De maneira geral, o credor aciona o avalista, porque é mais fácil receber o dinheiro. Importante mencionar que tanto o Aval quanto a fiança exige o consentimento do cônjuge na assinatura.

    Devedor Solidário

    Também existe a figura do Devedor Solidário, ou seja, uma pessoa que também responde, caso o tomador do empréstimo não honre com seus compromissos. Essa garantia tem características que mesclam a fiança e o aval. O devedor solidário responde pelo valor do contrato, assim como o fiador, mas nesta forma não existe a preferência de ordem de execução, como no aval. 

    No entanto, existe uma diferença que faz com que esse tipo de garantia represente um risco maior ao credor e, consequentemente, cobre juros mais altos: não exige o consentimento do cônjuge na assinatura.

    Caso o devedor solidário venha a ser executado, a outra parte (esposa/marido) pode entrar com processo de embargo sobre os 50% que lhe são de direito e o credor passa a contar apenas com os 50% do devedor como garantia.

    O que a bíblia diz sobre ser fiador de alguém?

    A palavra não vê com bons olhos ser fiador de alguém. Ela recomenda que você não seja fiador. Mas, quem cair nessa “armadilha”, deve encontrar uma forma de sair dessa obrigação.

    Em Provérbios 6:1-5 encontramos: 

    1: Filho meu, se ficaste por fiador, do teu companheiro, se deste a tua mão ao estranho.

    2: Enredaste-te com as palavras da tua boca, prendeste-te com as palavras da tua boca.

    3: Fazei, pois, isto agora, filho meu, livra-te, pois já caíste nas mãos do teu companheiro: vai, humilha-te e importuna o teu companheiro.

    4: Não dês sono aos teus olhos, nem repouso às tuas pálpebras .

    5: Livra-te, como a gazela, da mão do caçador e, como a ave, da mão do passarinheiro.

    Ser o fiador de alguém tem extrema chance de correr riscos e arcar com prejuízos, como abrir a porta para sofrimento de males, colocar em risco seus bens e desproteger o seu lar e a própria vida financeira. 

    Provérbios 11:15: Decerto sofrerá severamente aquele que fica por fiador do estranho, mas o que aborrece a fiança estará seguro. 

    Provérbios 17:18: O homem falto de entendimento dá as mãos, ficando por fiador do seu companheiro.

    Tome muito cuidado em ser fiador, avalista ou devedor solidário de alguém. Mesmo que sejam seus parentes, mesmo que sejam seus melhores amigos. Muitas brigas de famílias têm origem na fiança ou em um aval. Bem como muitas amizades são desfeitas quando o amigo é acionado como fiador ou avalista.

    Todos nós somos pessoas boas e queremos sempre acertar. Ninguém acorda todo dia querendo errar. Mas a verdade é que as pessoas podem ter maus hábitos em relação a empréstimos, pagamentos e gastos.

    Temos que saber diferenciar a amizade ou família com uma situação que exige fiança e aval. Ou seja, fazer uma análise financeira criteriosa da pessoa que nos pede aval ou fiança, se ela realmente tem capacidade de pagar a dívida. Porque a pessoa pode ter um ótimo caráter, mas simplesmente não tem como pagar a dívida. E se não pagar, o avalista ou fiador é acionado. Se não pagarem, o nome vai para o SPC e Serasa.

    Ou seja, ou pode perder algum bem ou pode ter o nome no SPC e Serasa e pode brigar com a família e perder amigos. Então pense bem antes de ser um fiador ou avalista de alguém.

    Perigo de ser fiador Foto: 500px

    Perigo de ser fiador

    • Foto de YasmimRaslan
      YasmimRaslan

      todo cuidado é pouco ! isso mesmo !

      +
  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    C6 BANK: o banco com mais reclamações em crédito consignado em 2020

    O C6 Bank é uma fintech brasileira que oferece conta digital sem taxas com abertura via aplicativo, como a Nubank, Neon e Inter, que oferece somente atendimento on-line, não possuindo agências físicas.

    Dentre os serviços oferecidos, além de isentar o cliente da tarifa de manutenção, o banco digital oferece pagamento de pedágio grátis e não cobra por operações, incluindo transferências e saques na rede Banco24Horas.

    Porém, apesar de ser um banco digital recente, ou seja, aberto desde outubro de 2018, ele esteve no Ranking de Reclamações dos Bancos e Financeiras de 2020 divulgado pelo Banco Central.

    Ocupou o ranking em segundo lugar no quarto trimestre, com índice de reclamações de 1.779,55, cujo número foi o suficiente para ocupar o terceiro lugar no Ranking Rock como um dos piores Bancos em 2020.

    Além disso, foi o Banco que mais teve irregularidades referente à oferta ou prestação de informação sobre crédito consignado de forma inadequada, com 6.044 ocorrências reguladas procedentes, seguido do PAN (2.270) e ITAÚ (691).

    Ressalta-se que as irregularidades sobre crédito consignado foram as mais frequente das reclamações em 2020.


    Para visualizar todos os rankings acesse www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira/rankingreclamações.

    Tão novo e já no ranking... Foto: 500px

    Tão novo e já no ranking...

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Taxa Selic em 2,00% ao ano: a menor taxa de juros da história do Brasil.

    Tem muita gente que está com saudades da Selic em patamares de 12% a 14% ao ano. Por muitos anos, o Brasil foi o paraíso para os investidores de renda fixa e percentual de CDI. Seja nos CDBs, seja no Tesouro Direto, seja nas LCIs, seja nos fundos Di, seja nos PGBLs.

    Quem investia R$ 100 mil com taxa de juros de 14%, ganhava R$ 11.900 de juros por ano, já descontados o imposto de renda.

    Quem tinha R$ 1 milhão, ganhava R$ 119 mil por ano de juros, o que representava um ganho mensal líquido do imposto de renda de quase R$ 10 mil.

    Hoje com Selic a 2,00%, esses mesmos R$ 1 milhão, rendem R$ 17 mil por ano, ou R$ 1.416 por mês.

    Para quem é bom juros menores:

    -Bom para pessoas e empresas que precisam tomar um crédito.

    -Bom para o empreendedorismo no Brasil. Seja para startups, seja para pequenas empresas. Porque teremos mais investidores dispostos a assumir riscos.

    -Bom para o desenvolvimento econômico do Brasil. Mais investimentos no setor real da economia.

    -Bom para diminuir a desigualdade social.

    -Bom para o mercado de ações e setor imobiliário (aqui sempre com muita cautela e análise).

    -Bom para reduzir os juros dos créditos com a portabilidade de crédito.

    Novos tempos com a Selic a 2% Foto: 500px

    Novos tempos com a Selic a 2%

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Cadastro Positivo no modelo "Opt Out"

    O Brasil mudou o modelo de cadastro positivo de "opt in" para "opt out" em 2019.

    Antes, no modelo de "opt in", era necessário solicitar a inclusão dos dados no cadastro positivo. Porém, houve adesão de apenas 10% dos brasileiros. 

    Desta forma, editou-se a Lei Complementar 166/19 para o modelo de "opt out", isso quer dizer que todos estão no cadastro positivo e que, aqueles que não quiserem ter seus dados ali inseridos, devem solicitar a exclusão dos dados.

    As seguintes empresas devem disponibilizar dados para o cadastro positivo:

    -Instituições financeiras (dados de pagamento das parcelas de crédito, cartão de crédito, consórcio e outros);

    -Empresas de telecomunicações;

    -Empresas de varejo;

    -Empresas de gás, água e energia elétrica.

    Todos no Cadastro Positivo Foto: 500px

    Todos no Cadastro Positivo