Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • + analise

    Sancionada Lei que autoriza doação de alimentos por estabelecimentos: Menos desperdício.

    Nos termos da Lei de n. 14.016/20, que dispõe sobre o combate ao desperdício de alimentos e a doação de excedentes de alimentos para o consumo humano, agora os estabelecimentos dedicados à produção e ao fornecimento de alimentos, incluídos alimentos in natura, produtos industrializados e refeições prontas para o consumo poderão doar os excedentes não comercializados e ainda próprios para o consumo.

    Os alimentos a serem doados devem atender aos seguintes critérios:

    - Estarem dentro do prazo de validade e nas condições de conservação especificadas pelo fabricante, quando aplicáveis;

    - Não tenham comprometidas sua integridade e a segurança sanitária, mesmo que haja danos à sua embalagem;

    - Tenham mantidas suas propriedades nutricionais e a segurança sanitária, ainda que tenham sofrido dano parcial ou apresentem aspecto comercialmente indesejável.

    Podem doar: empresas, hospitais, supermercados, cooperativas, restaurantes, lanchonetes e todos os demais estabelecimentos que forneça, alimentos preparados prontos para o consumo para o consumo de trabalhadores, de empregados, de colaboradores, de parceiros, de pacientes e de clientes em geral.

    Podem receber doação: pessoas, famílias ou grupos em situação de vulnerabilidade ou de risco alimentar ou nutricional.

    Como doar: diretamente, em colaboração com o poder público, ou por meio de bancos de alimentos, de outras entidades beneficentes de assistência social certificadas na forma da lei ou de entidades religiosas.

    O doador e o intermediário somente responderão nas esferas civil e administrativa por danos causados pelos alimentos doados se agirem com dolo, encerrando a responsabilidade:

    - Do doador: no momento da primeira entrega do alimento ao intermediário ou, no caso de doação direta, ao beneficiário final;

    - Do intermediário: no momento da primeira entrega do alimento ao beneficiário final.

    Serão responsabilizados na esfera penal somente se comprovado, no momento da primeira entrega, ainda que esta não seja feita ao consumidor final, o dolo específico de causar danos à saúde de outrem.

    A doação deve ser de modo gratuito, sem incidência de qualquer encargo que a torne onerosa e, em nenhuma hipótese, configurará relação de consumo.

    Durante a pandemia, o governo procederá preferencialmente à aquisição de alimentos, pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), da parcela da produção de agricultores familiares e pescadores artesanais comercializada de forma direta e frustrada em consequência da suspensão espontânea ou compulsória do funcionamento de feiras e de outros equipamentos de comercialização direta por conta das medidas de combate à pandemia da Covid-19.

    Antes desta Lei, um industrial, produtor ou restaurante, por exemplo, não podiam doar seus alimentos porque, se alguém passasse mal, o doador era acusado e poderia até ser preso, vez que as regras eram muito rigorosas quanto à doação de alimentos excedentes, fazendo com que o empresário preferisse desperdiçar esses alimentos.

    Para se ter uma ideia do grande desperdício, de acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), enquanto 821 milhões de pessoas passam fome no mundo, um terço dos alimentos produzidos são desperdiçados diariamente.

    O Brasil gera um descarte de aproximadamente 30% de tudo que é produzido para o consumo, estando na lista dos dez países que mais desperdiçam alimentos no mundo. Isso gera um prejuízo para a economia de quase 940 bilhões de dólares por ano, afetando diversas classes trabalhadoras e o desenvolvimento do país.

    Essa Lei, portanto, oriunda dos impactos causados pela pandemia, faz com que o setor econômico se desenvolva cada vez mais no sentido de manter-se equilibrado.

    Menos desperdício, mais dignidade da pessoa humana Foto: 500px

    Menos desperdício, mais dignidade da pessoa humana

  • + analise

    Controle seus gastos no papel ou caderninho.

    Recente pesquisa da CNDL / SPC Brasil mostrou que 36% dos brasileiros controlam seu orçamento com anotações no papel ou caderninho.

    Anotar no papel é uma maneira eficiente de controle de gastos. A possibilidade de manusear e analisar os gastos torna esse tipo de controle o favorito dos brasileiros.

    Depois, com 26%, vem o controle de gastos através da memória. Ou seja, as pessoas confiam na memória. Sem dúvida, é muito difícil lembrar de todos os gastos e fazer uma somatória mental. A verdade é que os brasileiros podem lembrar dos grandes gastos, mas podem perder a visão geral.

    Na terceira colocação, cerca de 20% dos brasileiros não registram e não fazem nenhum controle de gastos. 

    As pessoas que utilizam o computador somam 9% do total. São as famosas planilhas de excel. 

    Os brasileiros que utilizam um app / aplicativo totalizam 7%. Normalmente, são pessoas mais jovens que utilizam os aplicativos no controle de gastos.

    Finalmente, apenas 2% delegam para terceiros os controles de gastos.

    Independente de qual ferramenta que é utilizada para controlar os gastos, a recomendação é controlar e anotar todos os gastos para saber administrar seu orçamento mensal.

    Controle de Gastos Foto: 500px

    Controle de Gastos

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Comprar aquilo que não precisam

    Disse uma vez um autor desconhecido:"As pessoas compram aquilo que não precisam com o dinheiro que não possuem para impressionar quem nem conhecem ou gostam."

     

    Vivemos em uma sociedade bastante materialista e focado na imagem pessoal. As compras são realizadas com o objetivo de se sentirem melhores ou impressionar os outros.

    Além disso, somos constantemente bombardeados com propagandas e marketing, que mostra pessoas felizes por adquirirem coisas.

    O que vale mais é seu carácter, sua personalidade e suas atitudes. Ter uma vida equlibrada e sem dívidas vale muito mais que viver na ilusão de tentar agradar a todos à sua volta.

    Comprar o mundo? Foto: 500px

    Comprar o mundo?

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Qual é o seu método de Investimentos? Os melhores investidores têm os seus modelos

    Henry Ford criou a primeira linha de montagem de automóveis, o que permitiu uma produção em massa e redução drástica de custos.  Esse modelo serviu de base para todas as demais indústrias no mundo. Ter um modelo que já foi testado é fundamental para o processo de investimentos, porque facilitará muito a nossa vida. 

    Warren Buffett explicou o seu método ou modelo:"Nosso método é muito simples. Nós apenas tentamos comprar empresas com fundamentos econômicos de bons a excelentes, dirigidas por pessoas honestas e capazes, e as compramos a preços razoáveis. Isso é tudo o que estou tentando fazer."

    Tenha um método e modelo para aprender sobre Finanças Pessoais.

    Siga os modelos vencedores Foto: 500px

    Siga os modelos vencedores

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Se álgebra fosse necessário, Warren Buffett venderia Jornal

    Segundo Warren Buffett, as habilidades matemáticas necessárias para ser um grande investidor são: soma, subtração, multiplicação e divisão. Ele disse: "Se cálculo e álgebra fossem pré-requisitos para um grande investidor, eu teria que voltar a entregar jornais.

    Sabemos que os produtos bancários e de investimentos tem uma formula matemática complexa. Então, como poderemos resolver com matemática básica? 

    Podemos resolver com ajuda de ferramentas corretas como simuladores que ajudam a indicar qual é o melhor caminho. 

    Algebra? Foto: 500px

    Algebra?

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Warren Buffett: Regras número 1 e 2

    Regra número 1: Nunca perca dinheiro. Regra número 2: Nunca esqueça da regra número 1. Se você ganhar sempre 10% ao ano, vai precisar de 7 anos e 4 meses para dobrar seu capital. Agora, se no primeiro ano perdermos 50%, para recuperar teremos que ganhar 100%. Imagine que você tinha R$ 100 e perdeu 50%, então agora tem R$ 50. Para voltar aos R$ 100, seria necessário subir 100%. Com ganhos de 10% ano, teríamos que esperar mais 7 anos e 4 meses para voltar a ter R$ 100. 

    Importante é sempre ganhar todos os anos de maneira consistente. Portanto, nunca perca dinheiro. 

    Quais são suas regras? Foto: 500px

    Quais são suas regras?

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Já assisti muito vídeos de educação financeira e as minhas finanças continuam podres.

    Já pesquisamos muita coisa no google sobre finanças pessoais, sobre investimentos, sobre crédito e sobre renegociação. Já assistimos muitos vídeos no youtube e até compramos uns cursos com os ditos mestres e guru das finanças. A pergunta que fica é porque nossas finanças não melhoraram? Por que continua tudo igual? Por que continuamos com muitas dúvidas financeiras?

    A resposta é simples. Faltam:

    -Metas, objetivos e plano de ação

    -Um modelo para as pessoas seguirem o passo a passo

    -Boas Ferramentas 

    -Um sistema de acompanhamento

    -Professores, treinadores ou coachs

    -Ação

     

    Cadê a Educação Financeira? Foto: 500px

    Cadê a Educação Financeira?

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Viver acima ou abaixo das minhas possibilidades?

    Hoje a grande maioria das pessoas vive acima ou abaixo das suas possibilidades. Uma pessoa que gasta muito e que tem um padrão de vida acima das suas possbilidades terá muitos problemas financeiros. Uma vida de dívidas, de nome sujo e de perda de muito dinheiro. 

     

    Por outro lado, temos as pessoas que vivem abaixo das suas possibilidades, ou seja, comprometem demais sua vida com economias e se privam das coisas boas da vida. Tentam economizar nos mínimos centavos e não dão a liberdade de fazer o que gostam.

    Existe o caminho do meio, que é o caminho do equilíbrio financeiro, que significa que temos que aproveitar a vida hoje e ter recursos para curtir a vida no futuro próximo. Viver a liberdadde e ter a segurança. Para isso, basta um pouco de conhecimentos financeiros, de habilidades e muita ação.

    Viver abaixo das expectativas? Foto: 500px

    Viver abaixo das expectativas?

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Teatro para Finanças e o Método de Stanislavski

    Muitas escolas de teatro no Brasil e nos EUA utilizam o método de Constantin Stanislavski. Os aspectos dos estudos de Stanislavski sobre o realismo psicológico e a vivência de emoções autênticas em cena atraíram muitos atores. O aprendizado do Teatro tornava-se simples pela aplicacão do método, o que permitia uma rápida e forte evolução do ator.

    Infelizmente, no caso das Finanças pessoais não existe um método, um sistema que seja realmente reconhecido. Existe muita teoria e praticamente muitos sistemas se resumem em controle de gastos. 

    None
  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    O tolo e o sábio. Provérbios 17:16

    Provérbios 17:16. De que serve o dinheiro na mão do tolo, já que ele não quer obter sabedoria. A grande maioria das pessoas que ganham na loteria perdem todo o dinheiro depois de um tempo.Muitas pessoas de sucesso ganham muito dinheiro, mas depois perdem quase tudo.

    Muitas pessoas tem muitas casas, mas vivem apertadas.

    O problema é a falta de sabedoria para administrar e utilizar o dinheiro, seja do ponto de vista de investimentos, seja do ponto de vista de gestão e planejamento; ou se coloca em projetos ou investimentos que são perda na certa.

    Tem uma pessoa que ganhou R$ 10 milhões, comprou uma fazenda e bois para engorda e venda. Durante 10 anos trabalhou muito e depois perdeu tudo. Se tivesse colocado no Tesouro Direto Selic com 10%, poderia ter uma renda de R$ 68 mil por mês sem fazer nada e com a preservação dos R$ 10 milhões como capital. Precisamos de sabedoria para entender onde é melhor investir, se vale a pena tomar um crédito e como controlar os gastos.

    None