Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • + analise

    Dificuldade de pausar ou adiar 2 prestações da dívida nos bancos

    Devido ao COVID-19, os grandes bancos anunciaram a suspensão ou pausa de 2 parcelas das dívidas de casa, carro e outros créditos.

    Os bancos foram Caixa Econômica, Banco do Brasil, Itaú, Bradesco e Santander. Mas os clientes têm encontrado dificuldade, seja pela falta de atendimento e pela falta de conhecimento do assunto.

    Existem relatos de bancos oferecendo novos empréstimos, novos contratos com prazos maiores e juros maiores.

    Os bancos estão classificando essa operação como uma repactuação ou refinanciamento. Os bancos exigem que os clientes estejam em dia no pagamento das prestações para solicitar a pausa de 2 meses.

    Está com problemas com os bancos? Faça sua reclamação aqui na Rock e te ajudaremos.

    Sozinho? Foto: 500px

    Sozinho?

  • + analise

    Suspenda 2 prestações do financiamento da sua casa na Caixa Econômica

    A Caixa Econômica Federal anunciou que as pessoas físicas poderiam solicitar a pausa de 2 prestações do financiamento imobiliário.

    A Caixa divulgou que houve mais de 100 mil pedidos para a suspensão do pagamento de 2 prestações.

    Se você ainda não solicitou a pausa 2 prestações, então vá em uma agência e faça isso. Isso vai ajudar na preservação da sua renda mensal neste momento de crise do COVID-19.

    Pausa de 2 prestações Foto: 500px

    Pausa de 2 prestações

  • + analise

    Empresas: Busquem a suspensão temporária pagamentos de parcelas de financiamentos direto e indireto junto ao BNDES.

    BNDES concedeu a suspensão temporária por prazo de até seis meses de amortizações de empréstimos contratados junto ao BNDES, nas modalidades direta e indireta.

    Nas operações diretas, o pedido de suspensão deve ser encaminhado ao BNDES.

    Em operações indiretas, a interrupção deverá ser negociada com o agente financeiro que concedeu o financiamento.

    O prazo total do crédito será mantido e não haverá a incidência de juros de mora durante o período de suspensão. 

    Serão atendidos com a ação setores como Petróleo e Gás, Aeroportos, Portos, Energia, Transporte, Mobilidade Urbana, Saúde, Indústria e Comércio e Serviços, num total de R$ 19 bilhões para operações diretas e R$ 11 bilhões para indiretas.

    Liquidez nos momentos de incerteza Foto: 500px

    Liquidez nos momentos de incerteza

  • + analise

    BNDES Crédito Pequenas Empresas: Limite de R$ 70 milhões e 24 meses de carência

    O BNDES ampliou a abrangência da linha "BNDES Crédito Pequenas Empresas", que passará a contemplar desde microempresas até aquelas com faturamento anual de até R$ 300 milhões. 

    O limite de crédito por beneficiário por ano será elevado de R$ 10 milhões para R$ 70 milhões, colaborando com a necessidade de capital de giro.

     As empresas terão 24 meses de carência e cinco anos de prazo total para pagar esses novos financiamentos.

    Pequenas empresas busquem obter esse crédito da linha do BNDES para enfrentar a crise do Corona-vírus. O valor dos empréstimos liberados é de R$ 5 bilhões.

    A força do empreendedor Foto: 500px

    A força do empreendedor

  • + analise

    DPGE de no mínimo R$ 1 milhão

    O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou a Resolução nº 4.785, que autoriza a captação de Depósito a Prazo com Garantia Especial do Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

    O DPGE1 deve ter valor mínimo de emissão de R$ 1 milhão, e prever prazo mínimo de 12 meses e máximo de 24 meses, sendo vedado o resgate antecipado.

    As instituições estão autorizadas a captar em DEPG1 o valor equivalente ao seu patrimônio líquido, limitado a R$ 2 bilhões, por conglomerado, e as emissões poderão ocorrer até o início de 2022. 

    Esse instrumento foi utilizado na crise de 2008 para dar liquidez, principalmente, para os bancos pequenos. Agora, vai ajudar os bancos a levantarem depósitos no momento da crise do Corona-vírus.

    Ponte para a crise Foto: 500px

    Ponte para a crise

  • + analise

    Investidor estrangeiro deixa a bolsa brasileira.

    Os investidores estrangeiros investiram R$ 76,2 bilhões na bolsa brasileira dos anos de 2013 a 2017. Porém, nos últimos anos, os estrangeiros retiraram:

    -2018: R$ 11,5 bilhões

    -2019: R$ 44,5 bilhões

    -2020 (até dia 11 de abril): R$ 52,6 bilhões

    Portanto, as saídas de investimento da bolsa somam R$ 108,6 bilhões desde 2018.

    Mas por que eles tiraram todo esse dinheiro? 

    Primeiro: aproveitaram os lucros recentes da bolsa para realizar o ganho.

    Segundo: venderam para cobrir perdas em outros países. Os grandes investidores têm portfólios em diversos países e ativos.

    Terceiro: Migração ativos e países seguros.

    A pergunta que fica: Quando os investidores estrangeiros irão voltar para a bolsa brasileira?

    Saída Foto: 500px

    Saída

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    PGBL e VGBL como garantia de empréstimo?

    O Banco Central estuda a possibilidade de liberar o PGBL e VGBL como garantia de empréstimo. Sem dúvida, é uma boa iniciativa, porque as vezes não convém o saque dos recursos do PGBL e VGBL e pode-se pagar mais impostos sobre a previdência privada.

    Mas antes de tudo, o importante é avaliar seu PGBL e VGBL:

    -Reduzir taxa de administração: taxas de 3%, 2% e 1% ainda são muito altos. Principalmente, em um cenário de Selic a 4,25% ao ano.

    -Avalie o imposto regressivo e progressivo. 

    -Faça a Portabilidade de PGBL e VGBL para outros bancos e fundos, que possuam taxas de administração menores. Não saque e aplique, a melhor opção é fazer a portabilidade, porque os prazos de investimento são preservados e os benefícios do imposto.

    -Estude a modalidade de renda. Tem modalidade de renda que fica para o banco em caso de morte do titular.

    Utilize nossos simuladores de PGBL e VGBL, compare os impostos regressivos e progressivos, compare com o Tesouro Direto Selic, compare as taxas de administração.

    https://rock.com.br/simuladores/previdencia/

    Oportunidades Foto: 500px

    Oportunidades

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Economia de juros de R$ 2,5 bilhões com a Portabilidade de Crédito

    O Banco Central fez uma estimativa de economia de R$ 2,5 bilhões de juros com a Portabilidade de Crédito, em prazo de 10 anos, para quem tem dívidas.

    Os brasileiros pagam taxas de juros altíssima para os bancos. 

    O novo presidente do Banco Central está realizando um bom trabalho com várias frentes com o objetivo de reduzir os juros bancários, redução da burocracia, novo sistema de pagamento instantâneo, LIFT (Laboratório de Inovações Financeiras Tecnológicas) e incentivos a educação financeira.

    Se você tem alguma dívida, avalie a possibilidade de realizar a portabilidade de crédito.

    Pesquise as taxas dos créditos em:

    https://rock.com.br/seu-banco/taxas/credito/todos/aquisicao-outros-bens/taxas-de-juros-de-operacoes-de-credito/taxas-pre-fixadas/pessoa-fisica/

    Simule o valor dos juros em:

    https://rock.com.br/simuladores/

    Procure os bancos e solicite a Portabilidade de Crédito e reduza os juros do seu empréstimo.

    Pescar economia de juros Foto: 500px

    Pescar economia de juros

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Por que é importante saber o que é valores mobiliários nos investimentos?

    Porque, as atividades de consultoria financeira de ativos e valores mobiliários são regulamentados pela CVM, sendo necessário que o consultor ou consultoria de investimentos de valores mobiliários atendam vários requisitos para exercer a atividade.

    A instrução número 592, determina a regulamentação de consultoria de valores mobiliários a prestação dos serviços de orientação, recomendação e aconselhamento.

    Mas o que são valores mobiliários?

    São valores mobiliários: (conforme estabelecido na Lei nº 6.385, de 7 de dezembro de 1976, com redação dada pela Lei nº 10.303, de 31 de outubro de 2001)

    - as ações, debêntures e bônus de subscrição;

    - os cupons, direitos, recibos de subscrição e certificados de desdobramento relativos aos valores mobiliários referidos no inciso II;

    - os certificados de depósito de valores mobiliários;

    - as cédulas de debêntures;

    - as cotas de fundos de investimento em valores mobiliários ou de clubes de

    investimento em quaisquer ativos;

    - as notas comerciais;

    - os contratos futuros, de opções e outros derivativos, cujos ativos subjacentes sejam valores mobiliários;

    - outros contratos derivativos, independentemente dos ativos subjacentes;

    - quando ofertados publicamente, quaisquer outros títulos ou contratos de investimento coletivo, que gerem direito de participação, de parceria ou de remuneração, inclusive resultante de prestação de serviços, cujos rendimentos advêm do esforço do empreendedor ou de terceiros.

    § 1o Excluem-se do regime desta Lei:

    I - os títulos da dívida pública federal, estadual ou municipal;

    II - os títulos cambiais de responsabilidade de instituição financeira, exceto as debêntures.

    Portanto, o Tesouro Direto, a poupança, o CDB, LCI, LCA de bancos não são considerados como valores mobiliários.

    No entanto, os fundos imobiliários, CRIs, debêntures são considerados valores mobiliários.

    Regulação Foto: 500px

    Regulação

  • Foto de RockTheBank
    RockTheBank Esmeralda

    + analise

    Bancos precisam informar no extrato os detalhes do cheque especial

    O Banco Central publicou a Circular número 3.981 que trata da prestação de informações para os clientes referente ao cheque especial.

    Os bancos terão que detalhar os extratos das pessoas físicas e MEIs (micro-empreendedor individual) as seguintes informações:

    -Limite de crédito contratado;

    -Saldo devedor (na data);

    -Valores utilizados diariamente;

    -Valor e forma de apuração da tarifa cobrada

    -Taxa de juros efetiva do mês

    -Valor dos juros acumulado no período

    Essas informações deverão ser informadas aos clientes a partir de 1 de junho de 2020.

    Detalhes no Extrato Foto: 500px

    Detalhes no Extrato