Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Possibilidade de reduzir os juros dos créditos para pequenas e micro empresas para 2020

    O Banco Central estuda a possibilidade de liberar a Portabilidade de Crédito para micros e pequenas empresas para o ano de 2020.

    Essa é uma boa medida para reduzir os juros das operações de crédito para pequenas empresas.

    Segundo o Banco Central: "O objetivo da medida é permitir a transferência de dívidas de uma linha de crédito cara para outras modalidades mais baratas.

    No entanto, resta saber se haverá algum tipo de custo de pré-pagamento das operações de crédito para pequenas empresas.

    Para grandes empresas é permitido cobrar um custo de pré-pagamento de crédito, cuja clausula está nos contratos entre o banco e a empresa.

    Vamos reduzir juros dos créditos para pequenas empresas? Foto: 500px

    Vamos reduzir juros dos créditos para pequenas empresas?

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Reduza dos juros com Cheque Especial com a Portabilidade de Crédito

    A partir de abril 2020, você poderá realizar a Portabilidade de Crédito para o produto cheque especial.

    Você pode escolher um banco com juros menores no cheque especial e fazer a portabilidade.

    A melhor forma de fazer isso é:

    -Pesquisar as taxas de juros do cheque especial

    -Simular o ganho da redução dos juros

    -Solicitar para o novo banco a portabilidade do cheque especial.

    Estamos em um dos melhores momentos da história do Brasil porque a taxa selic está no patamar mínimo e o Banco Central limitou os juros do cheque especial em 8% ao ano a partir de 06 de janeiro de 2020.

    Portabilidade de Cheque Especial Foto: 500px

    Portabilidade de Cheque Especial

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Aumento ou redução do limite do Cheque Especial. O que os bancos podem fazer?

    A partir de 06 de janeiro de 2020, teremos:

    1) Redução do Limite do Cheque Especial: Precisará comunicar o cliente, com no mínimo trinta dias de antecedência;

    Os limites podem ser reduzidos desde que verificada deterioração do perfil de risco de crédito do cliente, conforme critérios definidos na política de gerenciamento do risco de crédito.

    2) Aumento do Limite do Cheque Especial: Ser condicionada à prévia autorização do cliente, obtida a cada oferta de aumento de limite. O cliente precisa aprovar, porque haverá a cobrança de tarifa de até 0,25% sobre o valor do limite disponibilizado do cheque especial para limites acima de R$ 500.

    Aumento ou Redução do Limite do Cheque Especial Foto: 500px

    Aumento ou Redução do Limite do Cheque Especial

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Financiamento de Casa fora do SFH

    O título deste post parece estranho, porque quase ninguém sabe o que é SFH.

    O SFH é denominado Sistema Financeiro da Habitação, cujo o financiamento para compra de uma casa tem benefícios, que são:

    -Taxa de juros menores e com limite de 12% ao ano, porque utiliza recursos da poupança.

    -Possibilidade de utilizar o FGTS para abater o saldo devedor do financiamento da casa.

    A partir de abril de 2020, a pessoa que possui um financiamento fora do SFH, poderá realizar a portabilidade de crédito para o SFH, desde que atenda os parâmetros do SFH.

    A economia no valor de juros poderá ser muito grande. Utilize os simuladores da Rock The Bank e veja quanto você pode ganhar.

    Para um financiamento de casa com prazo de 35 anos e valor financiado de R$ 300 mil. A redução de juros de 1%, poderá gerar uma economia de R$ 89 mil de juros (Rock The Bank não garante os resultados das simulações).

    Outra vantagem é a possibilidade de realizar a Portabilidade, o que permite não pagamento de certas tarifas e impostos.

    Financiamento Casa fora do SFH Foto: 500px

    Financiamento Casa fora do SFH

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Tarifa de Cheque Especial. Fique Atento.

    Os bancos poderão cobrar uma tarifa de cheque especial a partir de junho de 2020.

    As regras são:

    -Não se pode cobrar a tarifa para limites de crédito até R$ 500.

    -Para limites acima de R$ 500, pode-se cobrar uma tarifa mensal de até 0,25% sobre o valor do limite que exceder R$ 500.

    -A tarifa deverá ser descontada do valor devido dos juros do cheque especial no respectivo mês.

    Basicamente, a mensagem é simples:

    Não vale a pena ter um limite de cheque especial alto. Porque, agora os bancos irão cobrar uma taxa de 0,25% sobre o valor do limite que for superior a R$ 500.

    Exemplo:

    -Se tem um limite de R$ 2.000 de cheque especial. O valor superior a R$ 500 é de R$ 1.500. Portanto R$ 1.500 x 0,25% = R$ 3,75 de tarifa por mês.

    -Se tem um limite de R$ 10.000 de cheque especial. O valor superior a R$ 500 é de R$ 9.500. Portanto R$ 9.500 x 0,25% = R$ 23,75 de tarifa por mês.

    Tarifa do Cheque Especial Foto: 500px

    Tarifa do Cheque Especial

  • Foto de RockTheBank

    há 1mês

    + analise

    Taxa Máxima de 8% ao mês no Cheque Especial

    A partir de 06 de janeiro de 2020, a taxa máxima do cheque especial será de 8% ao mês, o que corresponde a 152% ao ano.

    Essa é uma mudança importante, porque vai ajudar as pessoas a pagarem menos juros para os bancos.

    Antes da mudança da regra, existiam bancos que cobravam 435% ao ano no cheque especial, ou 15% ao mês.

    Exemplo:

    a) Para um uso de R$ 1.000 no cheque especial em um 1 ano:

    -Nova regra (máximo de 8% ao mês): Juros de R$ 1.518

    -Com taxa de 15% ao mês: Juros de R$ 4.350


    b) Para um uso de R$ 5.000 no cheque especial em 1 ano:

    -Nova regra (máximo de 8% ao mês): Juros de R$ 7.590

    -Com taxa de 15% ao mês: Juros de R$ 21.751


    "O objetivo dessa medida é corrigir falha de mercado no produto cheque especial, visando reduzir seu custo e sua regressividade - considerando que o produto é mais utilizado por clientes de menor poder aquisitivo e educação financeira - e racionalizar o seu uso pelo cliente". Nota do Banco Central

    Cheque Especial Foto: 500px

    Cheque Especial

  • + analise

    Reforma da Previdência. Idade e Tempo de Contribuição.

    A idade mínima para as mulheres será de 62 anos. Enquanto, para os homens será de 65 anos. Com o tempo mínimo de contribuição de 15 anos para as mulheres e 20 anos para os homens.

    Os trabalhadores do setor privado terão direito de 60% do valor integral. O valor vai subindo 2% a cada ano adicional de contribuição.

    Portanto, no setor privado, para ter 100% do benefício, o trabalhador terá que ter contribuído com 35 anos para as mulheres e 40 anos para os homens.

    Para o setor público, o benefício mínimo de 60% é alcançado com 20 anos de contribuição e sobre 2% a cada ano adicional. Essa regra somente vale para as pessoas que ingressaram no setor público depois de dezembro de 2003. As pessoas que ingressaram antes, será mantido o benefício integral com 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres.

    Vamos juntos. Foto: 500px

    Vamos juntos.

  • + analise

    Brasil: O país da desigualdade e concentração de renda

    Porque temos tanta concentração de renda?

    -Porque historicamente o Brasil apresentou taxas de juros altíssimas.

    -Porque os impostos afetam mais a população de baixa renda, seja os impostos sobre produtos, seja sobre consumo.

    -Porque o país não incentiva o empreendedorismo.

    -Porque não existe educação financeira no Brasil.

    -Porque muita riqueza é apenas transferida pela herança e não pela produção de riqueza.

    -Porque o nível de investimentos é muito baixo no Brasil.

    Veja a matéria no El Pais sobre o estudo de concentração de Thomas Piketty.


    https://brasil.elpais.com/brasil/2017/12/13/internacional/1513193348_895757.html

    EL PAÍS

    Brasil tem maior concentração de renda do mundo entre o 1% mais rico | Internacional | EL PAÍS Brasil

  • + analise

    Bitcoin ainda não serve como unidade de troca

    Uma moeda serve como unidade de troca. Antigamente, as pessoas trocavam mercadorias, mas muitas vezes, existiam pessoas não queriam certos produtos. Um exemplo, um produtor de leite queria trocar leite por madeira. Mas o madeireiro não queria leite, queria trocar por pão. 

    A moeda surgiu como meio de troca para facilitar as relações comerciais.

    A moeda Real é utilizada como unidade troca. Quase tudo pode ter um preço em reais.

    Mas a pergunta que fica é: Será que o bitcoin serve como unidade de troca?

    A resposta hoje para os brasileiros é: NÃO.

    Porque para comprar bitcoins você paga taxa de depósito na corretora, taxa câmbio do bitcoin, taxa de mineração, taxa de saque da corretora. Ou seja, tem-se muitos custos de transação. 

    Além disso, o bitcoin apresenta muita volatilidade de preço, o que inviabiliza como meio de troca.

    Meio de troca Foto: 500px

    Meio de troca

  • + analise

    Como é fácil perder Bitcoins.

    Segundo estimativas, dizem que 23% dos bitcoins desapareceram. 

    Na tecnologia blockachain peer to peer, se você perde a Private Key, que é uma sequência alfa numérica, você perde os bitcoins.

    As maneiras mais fáceis de perder os bitcoins são:

    -esqueceu onde guardou a private key

    -invadiram o computador e roubaram a pivate key

    -Jogou fora o computador, onde estava a private key

    -imprimiu a private key e perdeu o papel

    -deixou bitcoin na corretora e essa desapareceu.

    -salvou na nuvem e um hacker robou sua private key.

    -a corretora onde estava seu bitcoin quebrou

    -deletaram todo meu HD, onde estava a private key

    Infelizmente, se você perdeu sua private key, você perdeu seus bitcoins. E não pode reclamar com ninguém. Pelo menos com a moeda Real, você ainda pode reclamar no banco e no Banco Central.

    Private Key Foto: 500px

    Private Key