Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    1º Timóteo 5. A família, a parentela e os crentes devem ajudar a verdadeira viúva

    Em 1º Timóteo 5:8 diz: Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente dos da sua própria casa, negou a fé e é pior do que o infiel.

    Essa é uma passagem interessante, mas algumas pessoas utilizam esse versículo apenas para justificar certas atitudes e esquecem que está dentro do contexto da ajuda para com as viúvas.

    1º Timóteo 5:1-16, fala da verdadeira viúva e a respeito dos da própria casa que devem ser ajudados.

    Para a viúva receber ajuda deveria ter vários requisitos:

    Primeiro Requisito: Ser verdadeiramente viúva

    1º Timóteo 5:3. Honra as viúvas que verdadeiramente são viúvas.

    Por que a bíblia falaria sobre uma verdadeira viúva? 

    Por dois motivos:

    a) Existiam viúvas que não precisavam de ajuda, ou seja, tinham condições de se sustentar. 

    b) Havia esposas que mentiam que eram viúvas para receber ajuda de terceiros e da igreja. Em outras situações, o marido não exercia o devido sacerdócio da casa.

    Segundo Requisito: Uma mulher de oração

     1º Timóteo 5:5. Ora, a que é verdadeiramente viúva e desamparada espera em Deus e persevera de noite e de dia em rogos e orações.

    Novamente, aparece a questão da verdadeira viúva e ela tem que ser uma mulher de oração e que espera em Deus.

    Terceiro Requisito: Que não vive em deleites e prazeres

    1º Timóteo 5:6 Mas a que vive em deleites, vivendo, está morta.

    A Palavra de Deus é justa, quer dizer, não faz sentido ajudar uma viúva para ela viver nos deleites e prazeres da carne. Deve-se ajudar as viúvas que, realmente, precisam de comida, de um lugar para morar, roupas e necessidades básicas. E não aquelas que utilizam o dinheiro para prazeres da carne. A bíblia diz que esta já está morta.

    2º Tessalonicenses 3

    Por último, não devemos esquecer do trabalho, como está em 2º Tessalocicenses 3, as pessoas devem trabalhar e não viver ociosas (Se não quiser trabalhar, também não coma).

    10 Quando ainda estávamos com vocês, nós ordenamos isto: Se alguém não quiser trabalhar, também não coma.

    11 Pois ouvimos que alguns de vocês estão ociosos; não trabalham, mas andam se intrometendo na vida alheia.

    A partir do versículo 9 de 1º Timóteo 5, mostra quais viúvas deveriam ser inscritas para receber ajuda da Igreja. Agregou-se as seguintes características:

    Quarto Requisito: Viúvas com mais de 60 anos e de um marido só.

    1º Timóteo 5:9. Nunca seja inscrita viúva com menos de sessenta anos, e só a que tenha sido mulher de um só marido.

    Quinto Requisito: Fez a boa obra e criou os filhos

    1º Timóteo 5:10. Tendo testemunho de boas obras, se criou os filhos, se exercitou hospitalidade, se lavou os pés aos santos, se socorreu os aflitos, se praticou toda boa obra.

    Paulo fala que se a viúva não é sozinha, ou seja, os filhos e netos devem ajudar, principalmente, os que moram na própria casa.

    1º Timóteo 5:4. Mas, se alguma viúva tiver filhos ou netos, aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família e recompensar seus pais, porque isto é bom e agradável diante de Deus.

    1º Timóteo 5:8 Mas, se alguém não tem cuidado dos seus e principalmente da sua própria casa, negou a fé e é pior do que o infiel.

    Os filhos e netos tem a obrigação de ajudar a verdadeira viúva. E especialmente os filhos e netos que moram na própria casa da viúva.

    A bíblia é sábia, porque faz total sentido que a prioridade de ajuda deve vir, principalmente, dos da própria casa. Porque representa a estrutura de uma família. Se um dos filhos já se casou, criou-se uma outra família.

    Além disso, se um filho ainda mora com sua mãe viúva e tem os cuidados desta, além de ter os benefícios dessa casa (lugar, água, luz, internet, comida), deve recompensar os pais. 

    Mas é claro que outros filhos que já se casaram podem ajudar, mas foi colocado uma prioridade aos da própria casa (é a ideia de oikos: uma casa ou família, ou relativo a certa casa ou família). Na bíblia, família refere-se ao marido, esposa e filhos. Se um filho se casa, tem-se outra família. O restante torna-se parentela.

    Finalmente, notamos que a igreja estava sobrecarregada. Assim, se a viúva não tivesse família e parentela, os crentes deveriam ajudar (termina o versículo mencionando novamente a viúva verdadeira).

    1º Timóteo 5:16. Se alguém crente ou alguma crente tem viúvas, socorra-as, e não se sobrecarregue a igreja, para que se possam sustentar as que deveras são viúvas.

    Portanto, a bíblia ensina que devemos ajudar a família, principalmente, os da casa e aquelas que ficaram sem o marido para prover o sustento, mas antes, devemos analisar certos comportamentos dessas pessoas, se elas se esforçam para trabalhar, se aproveitam da maneira correta tal ajuda e não as usam para se deleitar e se tornarem acomodadas. Porque do contrário, você poderá até mesmo arriscar suas finanças e acontecer de ambos necessitarem de ajuda financeira.

    A verdadeira viúva Foto: 500px

    A verdadeira viúva

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Como escolher o melhor plano de saúde?

    A verdade é que o melhor plano de saúde é aquele que se adequa às suas necessidades.

    Porque um plano de saúde completo, por exemplo, para todo o território nacional, para quarto particular, com obstetrícia, vai custar muito caro e você nem usará.

    As principais regras para escolher o melhor plano de saúde para você é:

    1) Saber sua necessidade: precisa do plano ambulatorial? Quarto particular para internação? Tem doença preexistente? Qual sua idade? Vai ter filhos? Casado? Precisa para todas as cidades e Estados? Sua cidade não tem hospital público bom?

    2) Pesquisar no site da ans.gov.br as empresas dos planos de saúde.

    3) Avaliar Custo/Preço: Saber se o custo está dentro do seu orçamento.

    4) Pesquisar avaliações de clientes da empresa e do plano que lhe interessar.

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Parábola dos Talentos: Mateus 25:14–30

    Vamos analisar a Parábola dos Talentos sobre dois prismas: espiritual e trabalho.

    Na visão espiritual, significa que devemos utilizar nossos talentos até a volta de Jesus.

    Deus nos deu talentos e dons que devem ser utilizados para gerar frutos e multiplicá-los. Conforme o propósito e ministério de cada um, deve-se fazer a obra de Deus.

    Cada vez que utilizamos nossos talentos, mais os multiplicamos e mais talentos recebemos.

    Constatamos que o talento não é fixo. Ou seja, o talento pode aumentar ou diminuir, conforme utilizamos ou não (segundo sua capacidade).

    Porém, uma pessoa que enterra os talentos, essa perde até o que tem.

    Mateus 7:19 diz: Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e atirada ao fogo.

    Podemos também aplicar a visão do trabalho.

    Comprovadamente, para você subir na carreira profissional, basicamente, precisa produzir além das expectativas. Ou seja, o seu trabalho precisa gerar frutos. Cada vez que gera mais frutos, mais sobe-se na carreira e mais ocorre o aumento do salário. A mesma dinâmica da Parábola dos Talentos. Cargos mais executivos podem ganhar de 20 a 30 vezes mais que a média dos empregados de uma empresa. Ou seja, o talento foi recompensado e multiplicado.

    Por outro lado, alguém que não trabalha, ou seja, não gera frutos, geralmente, é demitido. Quer dizer, até o pequeno salário é tirado.

    Mateus 25:14–30

    14 Porque será também como um homem que, partindo para fora da sua terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens;

    15 E a um deu cinco talentos, e a outro, dois, e a outro, um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

    16 E tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

    17 Da mesma forma, o que recebera dois granjeou também outros dois;

    18 Mas o que recebera um foi enterrá-lo no chão, e escondeu o dinheiro do seu senhor.

    19 E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e ajustou contas com eles.

    20 Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

    21 E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

    22 E chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

    23 Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

    24 Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

    25 E atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

    26 Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabes que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei;

    27 Por isso te cumpria dar o meu dinheiro aos banqueiros, e quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

    28 Tirai-lhe, pois, o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

    29 Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem será tirado.

    30 Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.

    Multiplicar os talentos

    Multiplicar os talentos

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Desobediência de Davi para ir à guerra. 2Samuel 11

    A oração do Pai Nosso tem uma parte que fala “Não nos deixe cair em tentação”.

    Porém, Davi caiu em tentação com Bate-Seba. 

    Mas o que a Palavra nos mostra é que Davi deveria ter ido à guerra (no tempo em que os reis saíam para guerra). Porém, Davi enviou Joabe em seu lugar, enviou seus servos e todo o Israel.

    Outro ponto importante é palavra “porém”, denotando que este preferiu ficar em Jesuralém em oposição de ir à guerra.

    A Bíblia fala que foi enviado “todo Israel” referindo a todos os homens adultos. Tanto que Urias foi na guerra e deixou sua esposa Beta-Seba em Jerusalém.

    2Samuel 11:1. E aconteceu que, tendo decorrido um ano, no tempo em que os reis saem a guerra, enviou Davi a Joabe, e a seus servos com ele, e a todo o Israel, para que destruíssem os filhos de Amom e cercassem Rabá, porém Davi ficou em Jerusalém.

    2Samuel 11:2. E aconteceu, à hora tarde, que Davi se levantou do seu leito, e andava passeando no terraço da casa real, e viu do terraço a uma mulher que se estava lavando, e era esta mulher muito formosa à vista.

    Se Davi tivesse obedecido e ido à guerra não teria caído em tentação. Mas, Davi cometeu adultério e mandou matar um homem inocente (Urias).

    Portanto, obedecer a Deus também evita que caiamos em tentação.

    A sentença de Deus contra Davi pela morte de inocente e adultério foi pesada.

    2Samuel 12:10 Agora, pois, não se apartará a espada jamais da sua casa, porquanto me desprezaste e tomaste a mulher de Urias, o heteu, para que te seja por mulher.

    2:Samuel 12:11 Assim diz o Senhor: Eis que suscitarei da tua mesma casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres perante ao sol.

    E a sentença de Davi contra si mesmo se concretizou (Davi disse que o homem que roubou a única ovelha deveria ser morto e restituído 4 vezes): morreram 4 filhos de Davi: o primeiro filho com Bate-Seba, Ammom, Adonias e Absalão.

    2Samuel 12:5 Então, o furor de Davi se acendeu em grande maneira contra aquele homem, e disse a Natã: Vive o Senhor que digno de morte é o homem que fez isso.

    2Samuel 12:6 E pela cordeira tornará a dar o quadruplicado, porque fez tal coisa e porque não se compadeceu.

    Rei na guerra

    Rei na guerra

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Desobediência Jeroboão e sua queda: 1Reis 14

    Depois da morte de Salomão, seu filho Roboão assumiu o reino. Porém, ele não soube reinar e administrar, o que provocou a separação das 12 tribos.

    Roboão ficou com o Reino do Sul, chamado Judá. Roboão manteve duas tribos, uma era a casa de Judá e outra de Benjamim. 

    E Deus colocou Jeroboão como rei para o reino do Norte chamado de Israel. Ou seja, Deus tirou 10 tribos da descendência de Davi.

    Mas Jeroboão caiu na idolatria, o que levou o povo a adorar outros deuses baseado em dois bezerros de ouro. Além disso, nomeou sacerdotes que não eram filho de Levi e virou as costas para Deus.

    Deus colocou Jeroboão como rei de Israel, mas devido a sua idolatria tirou brutalmente seu reinado, sua família e descendência.

    1Reis 14:7. Vá dizer a Jeroboão que é isto o que o Senhor, o Deus de Israel, diz: ‘Tirei-o dentre o povo e o tornei líder sobre Israel, o meu povo. 

    1Reis 14: 8 Tirei o reino da família de Davi e o dei a você, mas você não tem sido como o meu servo Davi, que obedecia aos meus mandamentos e me seguia de todo o coração, fazendo apenas o que eu aprovo. 

    1Reis 14:9 Você tem feito mais mal do que todos os que viveram antes de você, pois fez para si outros deuses, ídolos de metal; você provocou a minha ira e voltou as costas para mim.

    1Reis 14:10 Por isso, trarei desgraça à família de Jeroboão. Matarei de Jeroboão até o último indivíduo do sexo masculino em Israel, seja escravo ou livre. Queimarei a família de Jeroboão até o fim como quem queima esterco. 

    1Reis 14:11 Dos que pertencem a Jeroboão, os cães comerão os que morrerem na cidade, e as aves do céu se alimentarão dos que morrerem no campo. O SENHOR falou.

    1Reis 14:14: O Senhor, porém, levantará para si um rei sobre Israel, que destruirá a casa de Jeroboão no mesmo dia, mas que será também agora.

    Queda

    Queda

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Desobediência de Saul e sua queda. Melhor obedecer que sacrificar. 1Samuel 13:8-14, 1Samuel 15

    Saul tornou-se o rei de Israel. Embora, Deus não quisesse colocar um rei, o deixou segundo sua vontade permissiva.

    1Samuel 10:1 Então, tomou Samuel um vaso de azeite, e lho derramou sobre a cabeça, e o beijou, e disse: Porventura, te não tem ungido o Senhor por capitão sobre a sua herdade.

    1:Samuel 10:25 E declarou Samuel ao povo o direito do reino, e escreveu-o num livro, e pô-lo perante o Senhor. Então, enviou Samuel a todo o povo, cada um para sua casa.

    Mas Saul desobedeceu Deus em algumas situações. Em uma vez, Saul não esperou o profeta Samuel para oferecer os holocaustos. Saul ofereceu diretamente ao Senhor. Com essa desobediência, o seu reino que teria sido confirmado para sempre, passou a ter um tempo limitado.

    1:Samuel 8: E esperou sete dias, até ao tempo que Samuel determinará, não vindo, porém, Samuel a Gilgal, o povo se espalhava dele.

    1:Samuel 9: Então, disse Saul: Trazei-me aqui um holocausto e ofertas pacíficas. E ofereceu o holocausto.

    1:Samuel 13: Então, disse Samuel a Saul: Agiste nesciamente, e não guardaste o mandamento que o Senhor, teu Deus te ordenou, porque agora, o Senhor teria confirmado o teu reino sobre Israel para sempre.

    1:Samuel 14: Porém, agora, não subsistirá o teu reino, já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração e já lhe tem ordenado o Senhor que seja chefe sobre o seu povo, porquanto não guardaste o que o Senhor te ordenou.

    Em outra passagem, Deus manda Saul destruir totalmente os amalequitas, inclusive seus despojos. Mas Saul não obedeceu. Preservou vivo o rei dos amalequitas e a melhor parte dos despojos (ovelhas, gado, cordeiros).

    Saul tentou justificar a Samuel, dizendo que o povo tomou do despojo ovelhas e vacas, o melhor do interdito, para oferecer ao Senhor, teu Deus, em Gilgal.

    Mas Samuel diz: melhor é obedecer que sacrificar, porque a rebelião é como pecado de feitiçaria e a justificativa como iniquidade e idolatria.

    Essa desobediência selou o fim do seu reinado.

    Mas por que Saul desobedeceu? Porque Saul sofreu muita pressão do seu exército e do seu povo. O povo queria a melhor parte dos despojos e perdoou o rei amalequita. Assim como, no exército existia medo, deserção e pressão para que Saul oferecesse rapidamente o sacrifício para Deus, para garantir a vitória contra os filisteus. Saul não suportou a pressão e ofertou antes da chegada do profeta Samuel.

    Portanto, fazer a vontade de Deus não é fácil. Geralmente, você pode ir contra todos os desejos do povo e do exército.

    Podemos citar outro exemplo: Moisés. Ele sofreu várias tentativas de apedrejamento, de assassinato e de rebelião. O povo chamava Moisés de ditador e opressor, pois tinha que fazer toda a vontade de Deus. Ou seja, o povo não tinha liberdade de fazer o que queria. Mas Moisés não sucumbiu à pressão, mas cometeu o erro de bater com ira na rocha, que fez com que o mesmo não entrasse na Terra prometida.

    1:Samuel 15:3: Vai, pois agora, e fere a Amaleque, e destrói totalmente tudo o que tiver, e não lhes perdoes, porém matarás desde o homem até a mulher, desde os meninos até aos de peito, desde os bois até as ovelhas e desde os camelos até os jumentos.

    1: Samuel 15:8: E tomou vivo Agague, rei dos amalequitas, porém a todo o povo destruiu a fio de espada.

    1: Samuel 15:9 E Saul e o povo perdoaram a Agague, e ao melhor das ovelhas e das vacas, e às da segunda sorte, e aos cordeiros, e ao melhor que havia e não os quiseram destruir totalmente, porém a toda coisa vil e desprezível destruíram totalmente.

    1: Samuel 15:22: Porém Samuel disse: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios como em que se obedeça a palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor que sacrificar, e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.

    1: Samuel 15:23. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniquidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.

    1: Samuel 15:28. Então, Samuel lhe disse: O Senhor tem rasgado de ti hoje o reino de Israel e tem dado ao teu próximo, melhor do que ti.

    Melhor obedecer que sacrificar Foto: 500px

    Melhor obedecer que sacrificar

    • Foto de debora1102
      debora1102

      Gostei muito, vou usar um pouco na minha saudação da igreja

      +
  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Como escolher o melhor financiamento de carro?

    Segue um passo a passo de como escolher o melhor financiamento de carro:

    1) Pode começar com pesquisa das taxas de financiamento de carro. Na página SEU BANCO, em nossa plataforma, você verá as taxas atualizadas para financiamento de carro de todos os bancos, inclusive filtrar pelas menores taxas. Assim, não precisará ir de banco em banco para saber as taxas!

    2) Faça simulações com as taxas e prazos. Você irá notar que sempre é melhor escolher prazos mais curtos. Na página SIMULADORES você poderá simular o financiamento do carro, sem precisar ir de banco em banco.

    3) Verifique se a prestação cabe no seu bolso. Ou seja, se consegue pagar as prestações mensais, mais os custos de gasolina, IPVA e manutenção.

    4) Escolha sempre dar um bom valor de entrada para diminuir o valor da dívida e dos juros.

    5) Procure os bancos ou peça as cotações de financiamentos na concessionária.

    6) Avalie as melhores cotações e faça o financiamento.

    A melhor escolha é sempre o pagamento à vista: consegue algum desconto, não paga juros e impostos (tem IOF sobre o financiamento).


    Nossa plataforma é gratuita, então aproveite para consultar as taxas dos bancos e simular o financiamento do carro quantas vezes quiser!

    Ganhe moedas rocks!

    Para você que não sabe por onde começar...

    Para você que não sabe por onde começar...

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Auxílio Emergencial 2021: não será para todos

    O auxílio emergencial 2021, de 4 parcelas, instituído pela Medida Provisória n. 1039/2021, será concedido a partir de abril e terá novas regras.

    Valor: (art. 1º)

    Houve redução do valor em relação ao ano passado e dependerá da condição de cada beneficiário:

    - Quem mora sozinho: R$150,00.

    - Famílias com mais de uma pessoa e não chefiadas por mulheres: R$ 250,00.

    - Famílias chefiadas por mulheres: R$375,00.

    Quem pode receber: (art.1°, “caput”)

    - Trabalhador informal ou beneficiário do Bolsa Família;

    - Que tenha renda familiar mensal de até três salários-mínimos (R$3.300);

    - Que tenha renda familiar por pessoa de até meio salário-mínimo (R$550);

    - Que tenha recebido o auxílio emergencial em 2020.

    De acordo com as novas regras, não será permitido novos cadastros, ou seja, somente receberá o trabalhador que recebeu auxílio em 2020 (elegíveis no mês de dezembro) e que cumpre as regras publicadas na Medida Provisória 1039 e aos beneficiários do Programa Bolsa Família que são elegíveis a receber a ajuda federal este ano. Será limitado a uma pessoa por família.

    NÃO pode receber: (art. 1°, §2º)

    Dentre aqueles que receberam auxílio no ano passado, nem todos poderão receber. Isso porque a lista será filtrada e a elegibilidade ao auxílio será analisada pela Dataprev e o cidadão poderá conferir o resultado a partir do dia 1º de abril. Com isso houve diminuição do número de beneficiários para 45,6 milhões famílias, enquanto, em 2020, foram 68 milhões.

    - Trabalhadores formais, com carteira assinada;

    - Beneficiário do INSS ou de programa de transferência de renda federal;

    - Quem recebeu o auxílio em 2020, mas não sacou nem usou o dinheiro;

    - Quem estiver com auxílio emergencial 2020 cancelado no momento da análise cadastral do novo auxílio;

     - Residentes médicos, multiprofissionais, beneficiários de bolsas de estudo, estagiários e similares, beneficiário de bolsa de estudo da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes, de bolsas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq ou de outras bolsas de estudo concedidas por órgão público municipal, estadual, distrital ou federal;

    - Pessoas com menos de 18 anos, exceto mães adolescentes;

    - Presidiários ou com CPF vinculado ao auxílio-reclusão;

    - Servidores públicos;

    - Quem teve rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;

    - Quem tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil;

    - Quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$ 40 mil;

    - Quem possui indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal;

    - Quem reside no exterior.

    Portanto, quem tem direito a receber auxílio emergencial 2021, não precisa realizar nova inscrição (art. 1°, §1º).


    Confira mais informações na MEDIDA PROVISÓRIA Nº 1.039, DE 18 DE MARÇO DE 2021, que instituiu o auxílio emergencial 2021 em:

    https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/medida-provisoria-n-1.039-de-18-de-marco-de-2021-309292254

    Poucos escolhidos

    Poucos escolhidos

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Todos que receberam auxílio emergencial precisam declarar Imposto de Renda?

    Com a pandemia, muitas atividades econômicas foram gravemente afetadas. Daí surgiu a necessidade de o Governo prestar auxílio emergencial para dar suporte financeiro para trabalhadores informais e aos brasileiros em situação mais vulnerável.

    As declarações do Imposto de Renda deverão ser entregues até o dia 30 de abril e, dentre as novidades deste ano, está a tributação sobre os valores recebidos a de Auxílio Emergencial (Lei nº 13.982, de 2020) e ainda, do Auxílio Emergencial Residual (Medida Provisória nº 1.000, de 2020) a serem declarados como tal na ficha “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”, indicando o CNPJ 05.526.783/0003-27, fonte pagadora: Auxílio emergencial -COVID 19.

    Mas a dúvida que surge é: todos que receberam auxílio em 2020 precisam declarar?

    A resposta é não!

    Somente precisa declarar aqueles que receberam o auxílio em 2020 e outros rendimentos tributáveis acima de R$22.847,76 (sem contar o auxílio), informando que recebeu o auxílio junto com o rendimento anual.

    O mesmo ocorre se há dependente que tenha recebido auxílio e o declarante ou seu dependente tiveram outros rendimentos acima do valor de R$22.847,76.

     Caso tenha recebido auxílio, mas nem a pessoa e nem o dependente receberam rendimentos tributáveis acima de R$22.847,76 em 2020, a declaração do Imposto de Renda não é obrigatória.

    Mas atenção! Teriam direito ao auxílio 2020, apenas as pessoas que recebem abaixo desse valor de R$22.847,76. Ou seja, quem for obrigado a declarar o auxílio, consequentemente, excedeu esse valor e terá de devolver o auxílio recebido. Quem tem dependente que recebeu e excedeu o valor, também deve devolver.

    Neste caso, o próprio programa do Imposto de Renda gerará um boleto (DARF) ao final da declaração para pagamento, como devolução do auxílio, ainda que tenha restituição no Imposto, vez que não há possibilidade de abater o valor a ser devolvido na restituição.

    Se já devolveu o valor do auxílio fora do Imposto de Renda, o programa gerará o boleto do mesmo jeito, porém, não precisa pagar.

    Quem precisa declarar? Foto: 500px

    Quem precisa declarar?

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Pix: novas funcionalidades disponíveis

    Para se adequar às necessidades dos usuários, foram aprovadas algumas atualizações das regras do PIX:

    - Possibilidade de alteração do nome completo, nome empresarial, título do estabelecimento e vinculação ao nome social – Os usuários finais que, por exemplo, alterar o nome em decorrência de casamento, divórcio ou empresa que alterar o seu nome fantasia, podem solicitar alterações das informações sem precisar excluir e registrar novamente a chave. Aqueles que possuem nome social, também podem solicitar o seu vínculo à chave PIX.

    - Possibilidade de integração com a agenda de contatos – Para facilitar a identificação dos que possuem o número do celular como chave Pix, as instituições podem integrar os seus aplicativos com a agenda telefônica dos usuários.

    - Proibição da limitação do número de transações com Pix – Para garantir a equidade das condições competitivas entre os diferentes instrumentos de pagamento, está vedada a fixação de limite de número de transações PIX por parte das instituições, quer seja de envio ou recebimento.

    Novidades no PIX Foto: shutterstock

    Novidades no PIX