Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Original Store: Marketplace com descontos e cashback para clientes do Banco Original

    O Banco Original lançou o Original Store, um marketplace de lojas parceiras, onde os clientes podem comprar diretamente pelo aplicativo do Banco.

    Além de comprar com descontos, também haverá cashback. Algumas das 100 lojas participantes estão: Magazine Luiza, C&A, Ponto, Renner, Netshoes, Boticário, Natura, Eletrolux e Samsung.

    A única condição para comprar é ser cliente do Banco Original.

    Segundo Vinicius Neves, Head de produto da Original Store, o intuito é facilitar a experiência do usuário para que ele não precise lidar com as finanças fora do espaço virtual do banco, inclusive no âmbito do consumo:

    “O Original só está dando mais possibilidades. Buscamos conhecer melhor o cliente, enquanto ele também entende que, utilizando todos os produtos e serviços que oferecemos a ele, estará se beneficiando.”

    “Ao mesmo tempo, os varejistas acabam tendo um fluxo mais assertivo de compra e, em troca, oferecem o cashback. É um ganha-ganha”.

    “É uma ferramenta para quem tem e não tem cartão de crédito, podendo comprar via boleto, com cartão de crédito ou via pix, e todos esses meios de pagamentos vão trazer o cashback.”

    “Você compra na loja e recebe o cashback dentro do wallet do Original, aí pode escolher se quer creditar esse cashback na conta corrente ou abater na fatura do cartão de crédito.”

    O Banco Original é uma instituição financeira brasileira controlada pela holding J&F fundada em 2011 a partir da fusão de dois bancos, o Banco JBS e o Banco Matone. Possui mais de cinco milhões de clientes e atua nos segmentos, corporativo, varejo, empresas e fintechs.

    Compras no aplicativo do Banco Foto: shutterstock

    Compras no aplicativo do Banco

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    400 tentativas de golpes financeiros por hora no Brasil?

    De acordo com o relatório divulgado pela PSafe, empresa de segurança digital, de janeiro a outubro de 2021, foram bloqueados no Brasil mais de 3,4 milhões de golpes financeiros.

    Isso representa uma média superior a 11 mil tentativas diárias ou 400 por hora.

    A maioria dos golpes ocorrem por SMS, e-mail e redes sociais, onde os criminosos, passando-se por representantes das instituições financeiras, entram em contato com as vítimas com as seguintes principais artimanhas:

    - Avisos sobre supostos bloqueios de cartões;

    - Oferta falsa de upgrade de conta bancária;

    - Oferta falsa de benefícios em transações;

    - Pedido de atualização de senha;

    - Pedido de regularização de acesso para evitar bloqueio do dispositivo; e

    - Solicitam a atualização do aplicativo bancário para instalação de programa malicioso.

    Ao cair nesses golpes, as contas digitais das vítimas são invadidas e os criminosos realizam empréstimos, transferências e pagamentos.

    Mas não são apenas as pessoas físicas que são alvos dos golpistas, as empresas também têm sido o foco para vazamento de informações sigilosas e dados de clientes, bem como para pedir pagamento de resgaste pelos arquivos sequestrados. Mesmo com equipes de TI, ainda há riscos, vez que os golpistas sempre buscam novas vulnerabilidades e formas de ataques e golpes.

    A JBS, por exemplo, pagou USD 11 milhões (R$ 55 milhões) para recuperar dados sequestrados.

    As empresas também devem estar atentas aos funcionários diretos ou terceirizados com acesso ao sistema. Recentemente, no dia 02/10/2021, o iFood, por exemplo, sofreu ataque de um funcionário de uma terceirizada, onde o acesso da prestadora de serviço foi interrompido e os nomes dos restaurantes foram mudados para declarações políticas.

    Segundo o ifood: “O incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevida”.

    Após tal acontecimento, onde 6% dos estabelecimentos registrados foram afetados, a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) pediu que o iFood arcasse com o prejuízo dos restaurantes que tiveram seus nomes trocados.

    Um levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), mostrou que os golpes contra clientes de bancos aumentaram 165% no primeiro semestre deste ano, quando comparados com o segundo semestre de 2020.

    Os golpes são fraudes de engenharia social, ou seja, os próprios clientes são os fornecedores de suas informações confidenciais aos criminosos, como senhas e números de cartão.

    Entre alguns desses golpes mais comuns, estão:

    - Falso motoboy: o golpista liga para a vítima dizendo ser do banco e informa que o cartão foi fraudado, pede senha e diz para que o cartão seja cortado sem danificar o chip. Após, diz que um motoboy irá buscar o cartão. Os bancos nunca pedem o cartão de volta, muito menos motoboys à casa de cliente.

    - Falsa central de atendimento: o golpista também liga para a vítima dizendo ser da central de atendimento da instituição da qual a vítima é cliente, informando suposta invasão da conta, clonagem do cartão e solicita dados pessoais e financeiros, bem como pede para que a senha seja digitada. Os bancos não pedem senha. Desligue a ligação e entre em contato com sua instituição financeira em seus canais oficiais.

    - Troca do cartão: quando em uma loja o cliente digita a senha para pagamento, o cartão pode ser trocado. Golpistas infiltrados podem observar a senha digitada e trocar o cartão na hora de devolver. Para evitar isso, o próprio cliente deve passar o cartão na maquininha ou caixas eletrônicos e não aceitar ajuda de desconhecidos.

    - Clonagem do WhatsApp: golpistas ligam para a pessoa dizendo que estão realizando manutenção do cadastro da conta em um determinado site e solicitam o código de segurança que é enviado pelo aplicativo por SMS. Após, os criminosos cadastram o aplicativo da vítima no celular deles e enviam mensagens pedindo dinheiro. Neste caso, é importante ativar no aplicativo a “confirmação em duas etapas”.

    Portanto, de uma forma ou de outra, os cuidados na segurança e em não clicar em links enviados por fontes estranhas ou desconhecidas parece clichê, mas muitos caem e acabam suportando enormes prejuízos financeiros.

    Cai quem quer Foto: 500px

    Cai quem quer

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Iniciam testes para cashback para pagamentos através do WhatsApp

    A palavra “cashback” vem do inglês e significa “dinheiro de volta”. Desde setembro deste ano, o WhatsApp começou os testes de cashback para pagamentos no aplicativo, visando estimular as transações com o WhatsApp.

    Os dados de cashback e detalhes do reembolso poderão ser consultados no Histórico na área de Configurações do aplicativo.

     A introdução da novidade já começou para usuários da versão beta do aplicativo na Índia. De acordo com o noticiado pelo WABetaInfo, um indiano recebeu de volta uma certa quantia após realizar pagamentos para cinco contatos. Ainda de acordo com a notícia, apenas as contas incluídas na campanha promocional receberão o reembolso após as transferências e, provavelmente, os usuários com as versões mais recentes do WhatsApp Beta para Android e iOS devem ter mais chances de participar do programa.

    Porém, o WhatsApp não revelou o parâmetro usado para selecionar os clientes que terão acesso ao benefício, nem informou quando o recurso estará disponível em outras regiões. De qualquer forma, realizar pagamentos através do aplicativo será benéfico e economicamente vantajoso para os seus usuários, já que terão uma porcentagem de volta.

    "Dinheiro de volta" no WhatsApp Foto: shutterstock

    "Dinheiro de volta" no WhatsApp

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Notícia

    Open Banking começou sua terceira fase de implementação

    O Open Banking é o compartilhamento padronizado de dados e serviços por meio de abertura e integração de plataformas e infraestruturas de sistemas de informação. Ou seja, você poderá dar acesso a aplicativos ou outros sistemas para as suas informações bancárias.

    O objetivo do Open Banking é incentivar a inovação tecnológica, promover a concorrência, aumentar a eficiência do mercado financeiro e promover a inclusão financeira.

    Na Europa, já existem alguns apps que ajudam no controle de gastos, sistemas de pagamento, finanças das pequenas e médias empresas.

    No Brasil, a terceira fase do Open Banking começou a ser implementada no dia 29 de outubro deste ano de 2021e se fará em quatro etapas:

    - 29 de outubro: início de pagamentos com PIX diretamente em aplicativos;

    - 15 de fevereiro de 2022: início de transações com TED e transferências entre contas da mesma instituição;

    - 30 de junho de 2022: pagamentos de boletos;

    - 30 de setembro de 2022: começo de pagamentos com débito em conta.

    Assim, já começou ser implementada a fase de integração com o sistema PIX, onde os usuários poderão realizar um pagamento sem precisar abrir o aplicativo do banco. Atualmente, é necessário copiar e colar a chave da loja ou usar um QR Code. Com a integração do PIX, será possível fazer a transferência do dinheiro diretamente no serviço em que se está fazendo a compra, sem precisar deixar a interface.

    Também haverá o encaminhamento de propostas de créditos. Assim, se o usuário, permitir, as instituições financeiras terão acesso aos dados dos clientes e poderão enviar propostas mais coerentes, baseadas no histórico de cada pessoa.

    No Open Banking, quem decide a liberação dos dados é você. Então, você deve tomar muito cuidado para qual sistema ou app está dando acesso. Isso já ocorre nos aplicativos que instalamos no celular/smartphones que, dependendo do acesso que você permite, pode capturar muitas informações suas, devendo ter cuidado com quem você compartilha acesso aos seus dados.

    Se vai ajudar ou não os clientes, vai depender de quanto o sistema compartilhado vai ajudar suas finanças pessoais.

    Integração com o Pix Foto: shutterstock

    Integração com o Pix

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Selic subiu para 7,75% e os juros futuros com curva flat

    O Banco Central subiu a taxa selic de 6,25% para 7,75%.  

    Sobre o mundo de investimentos, o grande destaque foi a forte mudança da curva futura de juros. Basicamente, a partir de janeiro de 2023, os juros futuros ficam “flats” em patamares entre 12,35% a 12.51% ao ano.

    Segue as taxas dos juros futuros no dia 01 de novembro de 2021:

    -DI Jan/22: 8,38%

    -DI Jan/23: 12,36%

    -DI Jan/24: 12,51%

    -DI Jan/25: 12,48%

    -DI Jan/26: 12,42%

    -DI Jan/27: 12,46%

    -DI Jan/28: 12,41%

    -DI Jan/29: 12,46%

    -DI Jan/30: 12,42%

    -DI Jan/31: 12,40%

    -DI Jan/33: 12,35%

    Então, você pode ter taxas de 12% com prazos curtos como em janeiro de 2023 e janeiro de 2024, bem como oportunidades de taxas de 12.35% por 10 anos.

    Pode-se encontrar taxas de CDB com taxas de 14%, 15% ao ano de pequenos bancos.

    Por fim, normalmente, a curva de juros segue uma inclinação positiva, isto é, os juros sobem a medida que o prazo aumenta. Ter uma curva de juros "flat" geram oportunidades para diversificar prazos dos investimentos com taxas atrativas.

    Curva Flat Foto: 500px

    Curva Flat

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Não é lugar, não é a situação, não é problema que define uma pessoa abençoada. Gênesis 39. Gênesis 26. Gênesis 31.

    As histórias de José, Jacó e Isaque nos ensinam que, independente das situações, dos problemas, dos lugares, quando o Senhor Deus quer abençoar uma pessoa nada pode impedir. Assim como, as pessoas que estão em volta de uma pessoa abençoada também recebem as benções de Deus.

    Deus abençoou José e a casa de Potifar foi abençoada.

    Deus abençoou Jacó e casa de Labão foi abençoada.

    Isaque prosperou nas terras dos filisteus.

    José na casa da Potifar

    Gênesis 39:1. E José foi levado ao Egito, e Potifar, eunuco de Faraó, capitão da guarda, varão egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado.

    Gênesis 39:2. E o Senhor estava com José, e foi varão próspero, e estava na casa de seu senhor egípcio.

    Gênesis 39:5. E aconteceu, que desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o Senhor abençoou a casa do egípcio por amor de José, e a bênção do Senhor foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo.

    Jacó na casa de Labão

    Gênesis 30:27. Então, lhe disse Labão: Se, agora, tenho achado graça a teus olhos, fica comigo. Tenho experimentado que o Senhor me abençoou por amor de ti.

    Gênesis 30:28. E disse mais: Determina-me o teu salário, que to darei.

    Isaque na terra dos filisteus

    Gênesis 26:12. E semeou Isaque naquela mesma terra e colheu, naquele mesmo ano, cem medidas, porque o Senhor o abençoava.

    Gênesis 26:13. E engrandeceu-se o varão e ia-se engrandecendo, até que se tornou muito grande.

    Gênesis 26:14. E tinha possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço, de maneira que os filisteus o invejaram.


    Deus também não deixou José, Jacó e Isaque enganados.

    Labão tentou enganar Jacó 10 vezes com mudanças do seu salário.

    Os Filisteus quiseram impedir a prosperidade de Isaque tampando e tomando os poços de água. 

    Finalmente, o propósito de José não foi impedido pela mulher de Potifar.

    Jacó não é engado por Labão

    Gênesis 31:7. Mas o vosso pai me enganou e mudou o salário dez vezes, porém, Deus não lhe permitiu que me fizesse mal.

    Gênesis 31:8. Quando ele dizia assim: Os salpicados serão o teu salário, então, todos os rebanhos davam salpicados. E, quando ele dizia assim: Os listrados serão o teu salário, então todos os rebanhos davam listrados.

    Filisteus não conseguiram impedir que Isaque encontrasse água

    Gênesis 26:15. E todos os poços que os servos de seu pai tinham cavado nos dias de Abraão, seu pai, os filisteus entulharam e encheram de terra.

    Gênesis 26:18. Cavaram, pois, os servos de Isaque naquele vale e acharam ali um poço de águas vivas.

    José não é engado pela mulher de Potifar

    Gênesis 39:7. E aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pôs os olhos em José e disse: Deita-te comigo.

    Gênesis 39:8. Porém, ele recusou e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo e entregou em minha mão tudo o que tem.


    E como ser abençoado por Deus? Vamos ver o que diz Deuteronômio 28.

    Deuteronômio 28:1. E será que, se ouvires a voz do Senhor, teu Deus, tendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que eu te ordeno hoje, o Senhor, teu Deus, te exaltará sobre todas as nações da terra.

    Deuteronômio 28:2. E todas as bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do Senhor, teu Deus.

    A resposta é simples, mas não é fácil: Ouvir a voz de Deus e cumprir os estatutos e os mandamentos. Interessante, que primeiro é ouvir a voz de Deus, que ainda é reforçado no versículo 2 (quando ouvires a voz do Senhor, teu Deus) e cumprir os estatutos e mandamentos de Deus. 

    Benções sobre uma pessoa Foto: 500px

    Benções sobre uma pessoa

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Enquete

    O que se gasta mais quando se tem filho(s)?

    Vote de acordo com suas experiências.

    • 29 0
      29 pontos
      Educação

      Educação

    • 26 0
      26 pontos
      Alimentação

      Alimentação

    • 12 0
      12 pontos
      Saúde

      Saúde

    • 8 -1
      7 pontos
      Vesturário e calçado

      Vesturário e calçado

    • 2 -1
      1 ponto
      Lazer

      Lazer

    • 1 -1
      0 ponto
      Brinquedos

      Brinquedos

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Muito cuidado com os Consórcios

    Segundo a definição do dicionário, consórcio quer dizer associação ou união. Ou seja, forma-se um grupo de pessoas com o mesmo objetivo de adquirir alguma coisa. 

    O consórcio mais comum é de carros, mas também temos de motos, casas, imóveis e até televisores.

    Para você participar de um consórcio terá que fazer aplicações mensais para adquirir o bem. Muitas pessoas utilizam o consórcio como forma de poupar algum dinheiro, já que não possuem o hábito e a disciplina de realizar investimentos mensais.

    No entanto, devemos mencionar que o Consórcio tem muitos custos, como os custos da taxa de administração, taxa de fundo de reserva, penalidades no momento do saque antecipado e multas de juros sobre as prestações atrasadas acrescidas de multa moratória. 

    Seguem as principais características de um consórcio:

    1) Prazos dos consórcios

    Os consórcios têm prazo bastante longo. 

    Os consórcios de carros podem ter 60, 72 prestações mensais.

    Os consórcios de casa podem ter 200, 300 e até 400 prestações mensais. Neste último caso, mais de 30 anos pagando.

    Os consórcios de eletroeletrônicos podem ter prazo de 24, 36 meses. 

    2) Custos do consórcio

    Vamos falar dos custos embutidos no produto consórcio.

    a) Taxa de administração

    O primeiro deles é a taxa de administração, os bancos chegam a cobrar de 12% a 25% pela vida do contrato. Isso mesmo de 12% a 25%. Mas importante que é pela vida do contrato, ou seja, cobrado para 5 anos, 6 anos. Essa taxa já é bastante alta. Se você mesmo pegasse o dinheiro e guardasse em um produto de investimento como CDB ou Tesouro Direto não teria esse custo, além disso, ganharia uma remuneração pela aplicação desse dinheiro.

    b) Taxa fundo de reserva

    O segundo custo é da taxa de fundo de reserva, cuja taxa está entre 2% a 5% sobre a vida do contrato. No caso do resgate antecipado, não existe devolução dessa taxa.

    c) Taxa de adesão

    O terceiro custo é a taxa de adesão que varia de 1% a 2%, que é cobrada de uma vez.

    d) Correção das prestações

    Temos ainda a correção das prestações. Ou seja, a prestação que você paga aumenta todo o ano, de acordo com algum índice para repor a inflação do período.

    e) Cobrança de juros e multa moratória

    A cobrança de juros que é de cerca de 1% ao mês sobre as prestações atrasadas e de 2% de multa moratória.

    f) Custo do resgate antecipado

    Existe também o custo no momento do resgate antecipado que pode levar 10% do que foi investido.

    g) Custo de oportunidade

    Finalmente, temos o custo de oportunidade, ou seja, o seu dinheiro não rende como deveria render como se estivesse em um bom investimento.

    3) Se eu não consigo mais pagar o consórcio

    Em três casos, existe uma multa de infração contratual que pode girar entre 10% a 15% do valor.

    a) Caso o consorciado desista de participar;

    b) Caso o consorciado não pagar 3 parcelas seguidas ou não;

    c) Caso consorciado quebrar alguma cláusula do contrato;

    4) Se eu desisto do consórcio

    A desistência do consórcio foi sempre muito debatida no meio jurídico. 

    Se você seguir o que está no contrato: você vai receber o dinheiro somente no final do contrato. Ou seja, se você tem um contrato de 200 meses, somente receberá depois de 200 meses.

    Se você tem um contrato de 72 meses, receberá somente depois de 72 meses.

    Em alguns casos, pessoas tem entrado na justiça para reaver o dinheiro antes, temos dois lados:

    -Têm pessoas que perdem o caso, porque o juiz acha que essa retirada antecipada vai gerar danos aos demais integrantes do consórcio.

    -Têm pessoas que ganham o caso. O juiz considera o prazo restante, o valor, a idade do consumidor para liberar o dinheiro.

    Se você tivesse feito um CDB com liquidez ou Tesouro Direto teria o dinheiro a qualquer momento.

    Descobrindo os consórcios Foto: 500px

    Descobrindo os consórcios

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    C6 Bank é o pior banco do último trimestre. Veja o porquê

    No ano passado, o C6 Bank ocupou o terceiro lugar como pior banco no Ranking Rock de 2020.

    O C6 Bank aumentou em 4.982.658 seu número de clientes desde janeiro/2021, fazendo com que, no último trimestre, estivesse entre os 10 maiores bancos.

    Porém, apesar de ter diminuído o seu índice de reclamações desde o início deste ano, isso não impediu que, no último trimestre, estivesse em 1º lugar com maior índice de reclamação: 149,45.

    No entanto, analisando os tipos de reclamações dos rankings do Banco Central, é possível perceber que o C6 Bank, que possui diversos problemas quanto ao crédito consignado, tem melhorado nesse quesito.

    Isso porque em 2020 foi o banco que mais teve irregularidades referente à oferta ou prestação de informação sobre crédito consignado de forma inadequada, com 6.044 ocorrências reguladas procedentes. Neste ano de 2021, apesar de ter diminuído o número de reclamações, no primeiro (4.217) e segundo (2.111) trimestre foi líder em reclamações sobre crédito consignado. No último trimestre, também diminui o número de reclamações sobre consignado (392), caindo para o 2º lugar.

    Quanto aos serviços relacionados a operações de crédito, o C6 BANK que estava em primeiro lugar com o maior número de reclamações (838), no primeiro trimestre, caiu para o quinto lugar, com 137 reclamações no segundo trimestre, e no terceiro trimestre caiu para o 13º lugar, com 26 reclamações.

    Ainda sobre o tipo de reclamação, o C6 Bank ocupou o ranking em:

    1º lugar:

    - Pix – liquidação;

    - Insatisfação com a resposta recebida da instituição financeira referente à reclamação registrada no BC;

    - Insatisfação com a resposta recebida da instituição financeira referente à reclamação registrada no BCB;

    - Irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados ao serviço de credenciadora de cartões;

    - Integridade, confiabilidade, segurança, sigilo e legitimidade das operações e serviços - conta de pagamento pré-paga;

    - Irregularidades relacionadas à liquidação de documentos (exceto cheques);

    - Irregularidades relacionadas ao acompanhamento de conta;

    - Irregularidades no processo de encerramento de conta de pagamento;

    - Utilização incorreta da taxa de desconto no cálculo do valor presente relacionadas às demais operações de crédito, exceto as de crédito consignado e de financiamento imobiliário;

    - Cobrança irregular de tarifa pela prestação de serviços de credenciadora de cartões;

    - Irregularidades relacionadas ao atendimento da Ouvidoria;

    - Débito em conta de pagamento pré-paga não autorizado pelo cliente, ou não cumprimento das regras aplicáveis.

    2º lugar:

    - Pix - iniciação

    - Irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços, exceto as relacionadas a cartão de crédito, cartão de débito, internet banking, ATM, credenciadora e operação de crédito;

    - Irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços disponibilizados em internet banking;

    - Irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de débito;

    - Irregularidades no processo de encerramento de conta de depósitos à vista;

    - Descumprimento de prazo de resposta da reclamação registrada no BC;

    - Utilização incorreta da taxa de desconto no cálculo do valor presente relacionadas às operações de crédito consignado;

    - Irregularidades relacionadas ao acompanhamento de conta de pagamento;

    - Outras irregularidades.

    3º lugar:

    - Pix - experiência do usuário;

    - Cancelamento de contrato a pedido do cliente não atendido;

    - Irregularidades relacionadas ao fornecimento de documento para liquidação antecipada de operações de crédito;

    - Cobrança irregular de tarifa relacionada ao cartão de crédito;

    - Abertura de conta de pagamento sem documentação necessária ou com documentação falsa;

    - Oferta ou prestação de informação sobre o serviço de credenciadora de cartão de forma inadequada.

    Portanto, apesar de ter melhorado o seu índice de reclamações e o número delas sobre crédito consignado e operações de crédito, ainda foi o banco com maior número de reclamações do último trimestre.

    Clientes insatisfeitos Foto: shutterstock

    Clientes insatisfeitos

  • Foto de Rock
    Rock Diamante

    + Análise

    Cartão de crédito volta a ser líder em reclamações

    De acordo com uma pesquisa do SPC, 52 milhões de brasileiros usam o cartão de crédito como forma de pagamento, sendo uma das principais modalidades de pagamento usadas pelos consumidores não só no país, mas em todo o mundo.

    E, devido ao grande uso do cartão de crédito, são constantes as reclamações sobre as irregularidades relativas à integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito. Ou seja, envolve situações como:

    - Cobrança em fatura que deveria ser estornada;

    - Cobrança indevida em fatura;

    - Compras não reconhecidas feitas com cartão de crédito clonado/roubado;

    - Cobranças em duplicidade;

    - Não reconhecimento de pagamento de fatura;

    - Inconsistências em dados fornecidos ao cliente em fatura (ex: soma dos lançamentos é diferente do total da fatura).

    Em 2020, os serviços sobre cartão de crédito foram líder em reclamações no primeiro e segundo trimestre. Após, caiu para o 3º lugar no terceiro e quarto trimestre de 2020.

    Já neste ano, caiu para o 4º lugar no primeiro trimestre. Contudo, no segundo trimestre subiu para o 3º lugar e, no último trimestre, saltou para o 1º lugar no ranking das reclamações mais frequentes por assunto divulgado pelo Banco Central.

    Os bancos com mais reclamações envolvendo cartão de crédito no último trimestre, foram:

    1º SANTANDER

    2º ITAU

    3º BRADESCO

     

    Se você tem dívidas no cartão de crédito e quer saber estratégias para sair delas, veja a resposta da Rock sobre a pergunta feita na COMUNIDADE ROCK: “Como sair da dívida do cartão de crédito?”: https://rock.com.br/comunidade/como-sair-da-divida-do-cartao-de-credito/

    Maior número de reclamações Foto: shutterstock

    Maior número de reclamações