Foto de Rock
Rock Diamante

+ Notícia

85% dos brasileiros aprovaram o Pix

Apesar de ter sido lançado há pouco mais de um ano pelo Banco Central (novembro/2020), o Pix já é aprovado por 85% dos brasileiros e é atualmente usado por 71% da população, segundo pesquisa divulgada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que ouviu 3 mil pessoas com 18 anos ou mais em todas as regiões do Brasil, entre os dias 19 e 27 de novembro de 2021.

Quando lançado, muitas pessoas ficaram receosas quanto à novidade, mas logo ganhou popularidade devido à facilitação de transações financeiras com o pagamento instantâneo, sendo criados memes e até música a respeito do Pix.

Segundo a Pesquisa, a taxa de aprovação aumentou 9 pontos em 12 meses, sendo maior entre jovens.

- Idade entre 18 e 24 anos: índice de aprovação chega a 99%;

- Entre 25 a 44 anos: 69%;

- 60 anos ou mais: 65%. Mas há 22% de desaprovação do Pix nesta faixa etária.

Também foram analisadas a aprovação de acordo com a escolaridade:

- Entre os que têm ensino médio: aprovação de 90%;

- Ensino superior: 92%.

Entre aqueles que possuem renda superior a cinco salários mínimos, a aprovação foi de 90%.

Ainda se constatou que os brasileiros confiam mais no Pix oferecido pelos bancos tradicionais do que no disponibilizado pelas fintechs (32% a 18%). 32% dos brasileiros acreditam que o serviço é igualmente seguro em ambos os tipos de instituições financeiras, percentual que chega a 40% na faixa de 25 a 44 anos e a 41% entre os com nível superior. Porém, os entrevistados de 18 a 24 anos são os que mais acreditam na segurança da ferramenta nos bancos digitais (30% deles).

No segmento de pagamentos digitais do comércio varejista, tanto físico quanto online, por exemplo, a utilização do PIX quase dobrou entre o primeiro e o segundo trimestres de 2021, de acordo com o “Estudo PIX Gmattos” divulgado pela consultoria Gmattos. Já no comércio eletrônico, a aceitação do Pix mais que dobrou. Tal evolução no uso da ferramenta tem a ver com a alta taxa de conversão que a solução dá ao e-commerce (de 60% a 90%), cujas transações com PIX, comparada com outras formas de pagamento, representam de duas a três vezes mais faturamento.

Constatou-se ainda que o débito foi o meio de pagamento mais afetado pelo crescimento do PIX.

O Banco Central do Brasil (BC) anunciou novos serviços para o Pix em 2022, entre eles: Pix garantido, aproximação, débito automático, off-line e internacional.

Durante a pandemia, cerca de 40 milhões de pessoas no Brasil fizeram sua primeira transferência bancária por Pix, 14 milhões de brasileiros abriram conta bancária pela primeira vez em 2020.

Alex Peguim, COO da Speedy.io, acredita que isso é resultado, principalmente, do Pix e do Auxílio Emergencial: “A população brasileira nunca teve acesso de forma tão barata e ágil a serviços financeiros. Hoje, temos uma rede de pagamentos mais barata, descomplicada e rápida”.

PIX aprovado pela maioria do brasileiros Foto: 500px

PIX aprovado pela maioria do brasileiros