Espaço Rock

Um Espaço que mostra o que afeta sua Vida Financeira:

  • + analise

    Investimento em Startups poderá cair 10% em 2020.

    Investimento Anjo

    O volume aportado pelos investidores anjo no Brasil alcançou pouco mais de R$ 1 bilhão em 2019. O valor subiu 9% em comparação com o ano de 2018.

    Mas segundo algumas pesquisas realizados pela Anjos do Brasil, o investimento em 2020 poderá cair 10%, devido a crise do Covid-19.

    O valor médio investido alcançou para R$ 129 mil em 2019 comparados com R$ 85 mil em 2011.

    Investimentos Totais

    Segundo a consultoria Transactional Track Records (TTR), o valor total investido em startup brasileiras aumentou 8 vezes entre 2015 e 2019. O valor atingiu R$ 9,7 bilhões em 2019.

    A expectativa é de crescimento consistente em investimentos em startups, porque:

    - A taxa de juros no Brasil caiu de 14.25% para 2% ao ano. Isso provoca um movimento de renda fixa e CDI para investimentos mais arriscados como renda variável;

    -Aumento do processo de digitalização da economia e sociedade;

    -Desburocratização da economia e reformas estruturais;

    -Surgimento de novas tecnologias e inovações;

    -Brasil tem uma população de 212 milhões de pessoas, ou seja, a base para escalar é alta. A Rússia tem uma população de 147 milhões.

    Startups mudando o mundo Foto: 500px

    Startups mudando o mundo

  • + noticia

    Bradesco lança Bitz e BTG Pactual lança BTG+

    Bradesco

    O Bradesco lançou sua carteira digital chamada Bitz, cuja meta é ter uma fatia de mercado entre 20% a 25% de carteiras digitais em 3 anos. O objetivo é atender as pessoas que ainda não tem conta em banco.

    O Bitz permitirá depósitos em dinheiro, realização de pagamentos, transferências, recebimentos, recarga de celular e pagamentos via QR-Code.

    BTG Pactual

    O BTG Pactual lançou o BTG+, que terá conta corrente gratuita e cartão de crédito sem tarifas. O objetivo é atuar em áreas que não estão bem atendidas no Brasil.

    Outros serviços como cheque especial, seguros e financiamentos serão agregados ao longo do tempo.

    Além disso, faz parte o BTG+ Business, que atenderá as pequenas e médias empresas. O BTG+ Business poderá ser um concorrente a altura do Banco Inter.

    Aguardando as novidades Foto: 500px

    Aguardando as novidades

  • + analise

    PIX: Agendamento de Pagamento e Saques no Varejo

    Agendamento de Pagamento Futuro

    No PIX será possível realizar o pagamento em datas futuras. 

    Os bancos também poderão disponibilizar o modelo de agendamento garantidos, ou seja, o recebedor tem garantia de recebimento da instituição financeira na data futura.

    Saques de dinheiro no Varejo


    O serviço de saque no varejo não estará disponível em novembro de 2020. 

    Mas será uma nova funcionalidade do PIX que será lançado brevemente.  

    A pessoa física não precisará ir à agência bancária ou ao Banco24 horas para sacar o dinheiro. Porque, poderá fazer o saque no varejista credenciado.

    O varejista gerará um QR Code, em que o usuário confirmará. O dinheiro será transferido no mesmo instante para o varejista que disponibilizará o dinheiro para o saque.

    As vantagens para os varejistas seriam:

    -reuso do dinheiro;

    -mais clientes no estabelecimento;

    -novos negócios.

    Adicionalmente, reduzirá o custo de transporte do dinheiro e os custos de segurança.

    Dinheiro circulando Foto: 500px

    Dinheiro circulando

  • + analise

    PIX: 8 coisas que você precisa saber.

    O PIX vai revolucionar os pagamentos no Brasil. Veja as 8 características do PIX e como você poderá reduzir custos de pagamento seja você pessoa física ou jurídica:

    1) Velocidade

    -Uma ted demora até 30 minutos para ser confirmado. 

    -Um Doc tem um prazo de 1 dia útil. 

    -O boleto demora até 2 dias para ser liquidado.

    No PIX, o pagamento será instantâneo. Existe um acordo de nível de serviço, em que determina que 99% dos pagamentos sejam feitos em até 10 segundos e 50% das transações sejam efetuados em até 6 segundos.

    2) Custo

    O custo do boleto em média é de R$ 2, mas existem casos de até R$ 4. Temos o custo de Ted entre R$ 10 a R$ 18. O custo de DOC ao redor de R$ 5,00. O PIX será gratuito para a pessoa física. Para a pessoa jurídica, o custo será muito baixo.

    3) Disponibilidade

    A disponibilidade do PIX será de 24 horas, 7 dias por semana e 365 dias por ano. 

    4) Segurança

    O PIX usará a Rede do Sistema Financeiro Nacional, que já está a mais de 18 anos em funcionamento e jamais apresentou um incidente de ataque cibernético.

    No PIX, o pagamento é feito sem o contato com um dispositivo alheio (maquininha), pois a autenticação é no próprio dispositivo móvel do pagador.

    5) Conveniência

    O PIX utilizará uma chave que terá todas as informações. Ou seja, uma vez cadastrado a chave pix, o processo de pagamento será simples.

    6) Multiplicidade de casos de uso

    Todos os agentes utilizarão o PIX, seja pessoas, empresas e governos. Teremos uma experiência padronizada e uniforme de pagamentos. Hoje, tem muitos boletos de governos municipais e estaduais que não aceitam o pagamento em qualquer banco.

    7) Informações agregadas

    A ordem de pagamento levará junto um conjunto de informações que ajudará nos negócios com empresas e governos. Bem como, facilitará o processo de conciliação de pagamentos e automação. 

    8) Ambiente aberto

    O PIX é um sistema inter-operável e aberto para todas as instituições financeiras e instituições de pagamento mesmo aquelas não são sujeitas a autorização do Banco Central (mas sujeitas a regulação e supervisão). Isso permitirá maior competição e inovação. Em setembro de 2020, 980 instituições solicitaram homologação no sistema PIX.

    PIX ajudará pessoas, empresas e governos Foto: 500px

    PIX ajudará pessoas, empresas e governos

  • + noticia

    Cédula de R$200 em circulação: atente-se aos itens de segurança

    Desde o dia 02 deste mês, o Banco Central lançou a nota de 200 reais e autorizou a entrarem em circulação.

    A cédula de R$ 200 é estampada pelo lobo-guará. Suas cores predominantes são o cinza e o sépia. E suas dimensões, de 14,2 cm x 6,5 cm, são as mesmas da nota de R$ 20.

    Contudo, antes mesmo, já estavam circulando notas falsas por aí. E agora, tendo sido lançada realmente, deve tomar todo cuidado para não aceitar essas notas. 

    Por isso, vamos colocar os principais elementos de segurança para você observar quando receber uma:

    1- Tipo do papel: a cédula é impressa em papel fiduciário, que tem uma textura mais firme e áspera que o papel comum;

    2- Marca-d’água: coloque a nota contra a luz e veja a face do lobo-guará e o número 200, em tons que variam do claro ao escuro;

    3- Número 200 que muda de cor: fica na parte superior do anverso que ao ser movimentada, muda do azul para o verde e contém uma barra brilhante que parece rolar por ele;

    4- Barras em relevo: está no canto inferior direito, é uma marca tátil que auxilia os portadores de deficiência visual na identificação da nota;

    5- Alto-relevo nos dois lados: para sentir, deslize o dedo na imagem da Efígie da República e do lobo-guará; nas faixas laterais de folha, flores e frutos; nas legendas “República Federativa do Brasil”, “Banco Central do Brasil” e “200 reais”;

    6- Número 200 escondido: fica no canto inferior direito e aparece quando coloca a nota na horizontal onde há bastante luz.

    • Foto de Ivo Barbosa
      Ivo Barbosa

      INFORMAÇÃO = ROCK THE BANK! Parabéns.

      +
  • + enquete

    Em qual instituição financeira já fez empréstimos?

    Dê um voto positivo nas instituições onde já realizou qualquer tipo de empréstimo.

    • 12 0
      12 pontos
      BANCO PÚBLICO

      BANCO PÚBLICO

    • 11 0
      11 pontos
      BANCO PRIVADO

      BANCO PRIVADO

    • 2 0
      2 pontos
      COOPERATIVA DE CRÉDITO

      COOPERATIVA DE CRÉDITO

  • + noticia

    Planos de saúde: Suspensão do reajuste de setembro a dezembro de 2020

    Até então, as principais operadoras de saúde haviam recomendado às suas associadas a suspensão temporária da aplicação do reajuste anual das mensalidades apenas dos planos médico-hospitalares individuais, coletivos por adesão e de pequenas e médias empresas com até 29 vidas cobertas, contemplando tanto os reajustes que acontecem a cada 12 meses de contrato (técnico-financeiros), quanto os reajustes por mudança de faixa etária.

    Assim, por decisão voluntária, haviam suspendido o reajuste por 90 dias, de 01º de maio a 31 de junho, cuja recomposição dos valores desse período se daria a partir de outubro desse ano até o número de meses impactados pela suspensão.

    Neste sentido, recentemente, a ANS publicou medida determinando que a suspensão dos reajustes aos contratos de planos de saúde seriam para todos os tipos de plano: individual/familiar e coletivos - por adesão e empresariais, por 120 dias, iniciando em setembro, que seria válida para reajustes anuais e por mudança de faixa etária dos planos de assistência médica e exclusivamente odontológica.

    Contudo, no dia 26 deste mês, pelo fato de anteriormente algumas operadoras terem suspendido voluntariamente o reajuste, a ANS esclareceu como vai funcionar essa suspensão, tratando de todas as hipóteses já ocorridas bem como realizou alterações importantes.

    Portanto, para não restar dúvidas, conforme últimos esclarecimentos da ANS, a suspensão do reajuste seguirá as seguintes determinações:

    - Suspensão de 120 dias – setembro a dezembro de 2020;

    - A suspensão da aplicação dos reajustes não se aplica aos planos exclusivamente odontológicos;

    - A partir de janeiro 2021, as cobranças voltarão a ser feitas considerando os percentuais de reajuste anual e de mudança de faixa etária para todos os contratos que já tiveram a suspensão dos reajustes;

    - A recomposição dos efeitos da suspensão dos reajustes em 2020 será realizada ao longo de 2021;

    - Válida para os reajustes por variação de custos (anual) e por mudança de faixa etária dos planos de assistência médica-hospitalar, de acordo com os seguintes critérios:

    1. Planos individuais/familiares:

    - data-base aplicação reajuste 2020: maio/2020 a abril/2021;

    - ANS não definiu percentual máximo;

    - não houveram contratos reajustados;

    - não haverá qualquer cobrança em 2020.

    2. Planos coletivos por adesão com até 29 vidas (agrupamento de contatos):

    - data-base aplicação reajuste 2020: maio/2020 a abril/2021;

    - a operadora deve aplicar um único percentual para todos os contratos que tenham até 29 vidas;

    - foi suspenso reajuste de setembro a dezembro/2020;

    - contratos já reajustados entre maio e agosto: não poderá cobrar a parcela referente ao percentual de reajuste. Nos meses de suspensão, a operadora cobrará o valor anterior ao reajuste;

    - contratos ainda não reajustados: não poderá mais aplicar o percentual em 2020.

    3. Planos coletivos por adesão com 30 vidas ou mais:

    - data-base aplicação reajuste 2020: não existe data;

    - percentual negociado entre a pessoa jurídica contratante e a operadora/administradora;

    - foi suspenso reajuste de setembro a dezembro/2020;

    - contratos já reajustados entre janeiro e agosto: não poderá cobrar a parcela referente ao percentual de reajuste. Nos meses de suspensão, a operadora cobrará o valor anterior ao reajuste;

    - contratos ainda não reajustados: não poderá mais aplicar o percentual em 2020;

    - contratos com aniversário a partir de setembro/2020: negociação do percentual mantida, mas cobrança referente à parcela será apenas a partir de janeiro/2021.

    4. Planos coletivos empresariais com até 29 vidas (agrupamento de contatos):

    - data-base aplicação reajuste 2020: maio/2020 a abril/2021;

    - a operadora deve aplicar um único percentual para todos os contratos que tenham até 29 vidas;

    - foi suspenso reajuste de setembro a dezembro/2020;

    - contratos já reajustados entre maio e agosto: não poderá cobrar a parcela referente ao percentual de reajuste. Nos meses de suspensão, a operadora cobrará o valor anterior ao reajuste;

    - contratos ainda não reajustados: não poderá mais aplicar o percentual em 2020.

    5. Planos coletivos empresariais com 30 vidas ou mais:

    - data-base aplicação reajuste 2020: não existe data;

    - percentual negociado entre a pessoa jurídica contratante e a operadora/administradora;

    - foi suspenso reajuste de setembro a dezembro/2020, apenas para contratos ainda não reajustados entre janeiro e agosto;

    - contratos já reajustados entre janeiro e agosto: parcela referente ao percentual de reajuste será mantida;

    - contratos ainda não reajustados: não poderá mais aplicar o percentual em 2020. Porém, se for do interesse da pessoa jurídica contratante, poderá optar por não ter a suspensão do reajuste, desde que a operadora faça uma consulta formal junto ao contratante. Do contrário, o reajuste não poderá ser aplicado nos meses de suspensão.

    - contratos com aniversário a partir de setembro/2020: negociação do percentual mantida, mas cobrança referente à parcela será apenas a partir de janeiro/2021.


    Nem todos serão iguais. Foto: 500px

    Nem todos serão iguais.

  • + noticia

    Dispensa de alvarás e licenças para MEIs

    A partir de 1º de setembro, os microempreendedores individuais (MEIs) poderão exercer, imediatamente, as suas atividades mesmo sem alvará ou licença de funcionamento.

    Para isso, quando da inscrição ou alteração no Portal do Empreendedor, o MEI deverá concordar com o Termo de Ciência e Responsabilidade com Efeito de Dispensa de Alvará e Licença de Funcionamento que será emitido eletronicamente. A manifestação de concordância abrangerá todas as ocupações permitidas ao Microempreendedor Individual, conforme definidas em Resolução do CGSN.

    Ao aderir essa dispensa, o MEI declara, sob as penas da lei, que:

    - atende aos requisitos legais exigidos pelo Estado e pela Prefeitura do Município para a dispensa de alvará de licença e funcionamento, compreendidos os aspectos sanitários, ambientais, tributários, de segurança pública, uso e ocupação do solo, atividades domiciliares e restrições ao uso de espaços públicos;

    - autoriza inspeção e fiscalização no local de exercício das atividades, ainda que em sua residência, para fins de verificação da observância dos referidos requisitos (Essas vistorias serão realizadas após o início de operação da atividade do MEI);

    - tem ciência de que o não atendimento dos requisitos legais exigidos pelo Estado e pela Prefeitura do Município poderão acarretar o cancelamento do Termo (O cancelamento do termo efetuado pelo Município ou Distrito Federal cancela o CCMEI definitivamente e perante todos os demais órgãos envolvidos no registro do MEI).

    Todas as orientações e informações deverão ser fornecidas pelos órgãos e entidades responsáveis pela emissão de alvarás e licenças.

    Veja teor completo da RESOLUÇÃO CGSIM Nº 59/2020 em https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-cgsim-n-59-de-12-de-agosto-de-2020-271970589


    *Agilizar o exercício do empreendimento pelo MEI, é fator positivo para impulsionar o giro e crescimento da economia, sobretudo, porque o número de MEIs no país tem aumentado significativamente (no fim de junho já passavam dos 10,1 milhões).

    Atividades imediatas Foto: 500px

    Atividades imediatas

  • + noticia

    Caixa altera o seu horário de funcionamento

    As Agências da Caixa estão funcionando em novo horário para atendimento de serviços essenciais: de 8h às 13h.

    A recomendação é que os clientes utilizem os canais digitais.

    Os valores do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e do Auxílio Emergencial podem ser movimentados pelo aplicativo do Caixa Tem.

    Os usuários que precisarem atualizar o cadastro no aplicativo, podem enviar a documentação pelo próprio aplicativo.

    Mais cedo Foto: 500px

    Mais cedo

  • + noticia

    Declaração de ITR já pode ser enviada

    Desde o dia 17/08, foi aberto o prazo para que os proprietários rurais de todo Brasil enviem a declaração de Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural 2020 à Receita Federal. O prazo de entrega vai até o dia 30 de setembro.

    - Quem deve apresentar: pessoas físicas ou jurídicas, exceto as imunes ou isentas, proprietárias, titulares do domínio útil ou possuidoras a qualquer título do imóvel rural, bem como aqueles que, entre 1º de janeiro de 2020 e a data da efetiva apresentação da declaração, perderam a posse do imóvel rural ou o direito de propriedade pela transferência ou incorporação do imóvel ao patrimônio do expropriante.

    - Onde fazer e entregar: a declaração é elaborada com uso de computador, por meio do Programa Gerador da Declaração do ITR, disponibilizado na página da Receita Federal, da qual é enviada pela internet ou entregue em dispositivo USB nas unidades da Receita Federal.

    - Multa: quem apresentar após o prazo pagará multa de 1% (um por cento) ao mês ou fração de atraso, lançada de ofício e calculada sobre o total do imposto devido, não podendo seu valor ser inferior a R$ 50,00 (cinquenta reais).

    - Retificar informações: se após apresentar declaração, o contribuinte verificar que cometeu erros ou omitiu informações, deve, antes de iniciado o procedimento de lançamento de ofício, apresentar DITR retificadora, sem a interrupção do pagamento do imposto apurado na declaração original.

    - Parcelamento do valor: o imposto pode ser pago em até quatro quotas iguais, mensais e sucessivas, sendo que nenhuma parcela pode ter valor inferior a R$ 50,00. Imposto com valor abaixo de R$ 100,00 deve ser pago em quota única até o dia 30 de setembro.

    - Meio de pagamento: 1. Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), em qualquer agência bancária integrante da rede arrecadadora de receitas federais; 2. Título da Dívida Agrária (TDA) do tipo escritural, ou seja, custodiados em uma instituição financeira, correspondentes a até 50% (cinquenta por cento) do valor devido; ou 3. Transferência eletrônica de fundos por meio de sistemas eletrônicos das instituições financeiras autorizadas pela Receita Federal a operar com essa modalidade de arrecadação.


    Mais informações em:

    http://receita.economia.gov.br/orientacao/tributaria/declaracoes-e-demonstrativos/ditr-declaracao-do-imposto-sobre-a-propriedade-territorial-rural/perguntas-e-respostas-itr/perguntas-e-respostas-itr-2020-versao-1-0-14082020.pdf/view

    Prazo final: 30 de setembro Foto: 500px

    Prazo final: 30 de setembro